Depoimento de um activista acusado nos 14 de Novembro afirma que a PSP mentiu em Tribunal. Processo de investigação à PSP ainda está a decorrer.

Conforme a notícia publicada no Tugaleaks esta semana, vários activistas foram inquiridos sobre as acções da PSP na manifestação de 14 de Novembro. O inquérito, segundo o Tugaleaks apurou junto do Ministério da Administração Interna, passado mais de 6 meses da ocorrência dos factos continua ainda com as suas investigações.

 

Acusado da manifestação de 14 de Novembro afirma que a PSP mentiu em Tribunal

 

Um activista acusado, David Libertário, afirmou ao Tugaleaks que a PSP mentiu em Tribunal.
Afirma que “mentiram na hora no local nos agentes que efectuaram a detenção, mentiram sobre o que se passou, chegaram ao cumulo de nos autos dizer que foi pessoas X [a deter o individuo] e no julgamento dizerem o contrario e a juíza nem os questionou e ainda diz que responderam com calma e segurança”, acrescentando que “ todas as pessoas que estavam presentes no tribunal incluindo jornalistas me vieram dizer que nem acreditavam que se mentisse tão à vontade em tribunal”.

 

O David foi também uma pessoa que levou fisicamente com a carga policial. Sobre isso, afirma ser “incrível que na historia deles só nunca entrou a parte de eu estar todo partido e quem o terá feito… eles dizem que me seguiram toda a manif e que nunca tiraram a vista de cima de mim por isso lhes pergunto eu: quem me espancou?”

 

Esta manifestação, que acabou com carga policial, teve um “exessivo de força” segundo David Libertário”que afirma que “há imagens claras onde até se vê um agente da guarda pretoriana atiçar um cão a uma pessoa que esta de joelhos no chão…disso ninguém fala ne?”

Conforme já noticiado pelo Tugaleaks, David Libertário não quis prestar declarações à ao IGAI tendo em conta que ele não “joga” o jogo deles.

 

 

Acusação do David Libertário (PDF)

 

Ver
Esconder