O cidadão Ricardo Castelo Branco, do qual o Tugaleaks já tinha publicado um depoimento, apresentou queixa no passado sábado pelas 11h30m na PSP do Rato, em Lisboa.

Ricardo Castelo Branco

Anexou-se à queixa uma cópia do comprovativo da retirada dos pontos, que anexamos no nosso site com a devida autorização. O cidadão queixou-se de ataques com bastões, força excessiva, abuso de autoridade e violações grosseiras de vários direitos constitucionalmente reconhecidos, por parte de agentes do Corpo de Intervenção da PSP.

Ricardo Castelo Branco

O relatório oficial que veio a público torna à luz dos acontecimentos relatados por este cidadão, a sua descrição extremamente improvável.

A queixa, contra a integridade física, vem na sequência dos confrontos da manifestação de 22 de Março onde alegadamente houve violência excessiva da parte da polícia.
Demorou cerca de hora e meia a ser apresentada e teve os olhos atentos do Tugaleaks, que decidiu acompanhar este cidadão na sua busca de justiça e dignidade pessoal.
Além dos danos físicos, o Ricardo ficou também sem os seus óculos, com lentes progressivas, de valor que não pode ser quantificado. E não pode não só ser quantificado como reposto, uma vez que o cidadão, arquivista de profissão, está desempregado actualmente.

O Tugaleaks espera que este não seja um processo fechado por falta de provas e que sejam ouvidas todas as partes, tais como este cidadão, elementos do corpo de intervenção e as suas chefias.

A pergunta para fica para quem quiser comentar: de quem acham que veio a ordem de “carga”, e porquê?

 

Comentários

13 Comments

  1. Realmente já tinha lido no facee a intenção deste cidadão, espero que de em alguma coisa mas sabemos que os policias nestes casos se defendem uns aos outros fazer queixa de um PSP a PSP é sempre algo delicado..espero que não vá sozinho e se já tiver feito que o tribunal proceda como deve proceder por último dada a arrogância de alguns uma minoria nas forças de segurança (mas que pode aumentar face ao medianismo) preparem-se sem medo nem armas mas com inteligência e astucia para novas cargas..temos direito a resistência mesmo perante as forças da autoridade

  2. Espero que o Ricardo ganhe esta queixa , a ordem como sempre não virá de ninguém , e por mais irónico que seja .
    Contudo talvez assim a culpa não morra solteira e se encontre os culpados e não os pequenos protagonistas nesta triste historia, onde mais uma vez pagou um inocente que estava a exercer o seu direito de cidadão “livre”

  3. se o verdadeiro culpado for um alto comandante duvido e desculpem amigos (digo amigos sem pertençer a nenhum grupo mas compartilho da mudança de uma sociedade mais justa) temo que o resultado seja que a polícia actuou conforme as circunstâncias e pouco mais e como eles são todos camaradas convinha que alguém que o conheça em pessoa saiba por onde anda etc, sem alarmismos mas —devido a meditação , boa sorte Ricardo

  4. Ricardo é mais que lógico que vai haver um monte de desculpas “esfarrapadas” e é lógico que vão dizer que não é possível averiguar os factos visto a PSP ter agido de acordo com as circunstancias, mas se puderes juntar as fotos que existem, mas não as que circulam pela NET, falo daquelas que muita gente tirou e não publicou por medo ou sei lá…. força e boa sorte….

  5. como é obvio q o jornalista nao vai ganhar, o sucedico será que o caso seja abolido devido ás mentiras que iram inventar para se safar, mas n é surpresa nenhuma. O mundo está todo trocado. será que ninguém entende?

  6. Este cidadāo como muitos é vitima da policia, porque a policia nāo tem mecanismos de controlo eficazes para controlar a sua força, necessita de uma policia para policiar os policias

    Vivemos numa sociedade que tem o maior numero de policias no mundo para o numero de população que tem.

    Uma māo de obra que esta mal empregue fechada em quartéis, a guardar lojas, embaixadas e afins.

    É uma força perigosa, abusiva e repressiva que controla a população, muitos policias sāo contratados depois de sair da vida militar, a GNR é uma força militar, hà profundas ligações com a extrema direita e neo-nacionalismo.
    O crime existe porque eles o querem, hà meios suficientes para o erradicar.

    Vivemos num estado policial em que os poucos controlam os muitos.

  7. Quando um cidadão tira carta de condução cumpre todas as regras e normas para receber a carta.
    Todos os agentes que frequentam a Escola de Polícia cumprem na íntegra todas as normas e regras exigidas. para terem um emprego com futuro garantido.
    Felizmente a maioria são bons profissionais, mas como em todas as profissões há sempre exceções.
    Assim apenas poucos condutores e polícias estão a cumprir pena de prisão e estabelecimentos prisionais por não terem cumprido o que aprenderam.
    Temos de compreender que há situações em que os agentes cumprem ordens superiores, mas outros atuam por iniciativa própria.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ver
Esconder