A ACAPOR tem desde há alguns anos vindo a dizer que a culpa dos clubes de vídeos terem, quase todos, ido à falência é da Internet. Ninguém concorda excepto eles.

 

ACAPOR com dados espalhados na Internet

 

Tem também, tentado processar pessoas por fazerem downloads, tendo durante apresentado cerca de 2000 queixas por downloads ilegais, cada uma pertencente a um IP. Essa queixa foi há poucos dias arquivada, perdendo a pouquíssima credibilidade que a Associação tinha até então.

Há poucas horas foi colocado na Internet um dump de uma base de dados, alegadamente da ACAPOR, que mostra cerca de 335 nomes e passwords encriptadas. O dump dos dados foi feito pelo colectivo @anontuga.

A notícia da “legalidade” dos downloads já foi espalhada pelo mundo. No conhecido site Torrentfreak existe uma notícia a  explicar que Portugal pode estar, por agora, “safo” dos processos que têm acontecido no estrangeiro.

De recordar que a ACAPOR já tinha sido atacada em 2011 e também em 2010, tendo sido vitima de vários DDoS.

Para terminar, basta sabermos que o Tugaleaks noticiou que o presidente da ACAPOR admitiu ter cometido um ilícito, o que retira completamente, a credibilidade a esta Associação que culpa a Internet pela evolução natural e a falta de uso dos videoclubes em Portugal

Estamo-nos a aproximar ao mês de Dezembro. Fez Dezembro um ano que os LulzSec Portugal e os AntiSecPT espalharam o terror pela Internet em Portugal, alterando e pirateando vários sites, a maioria ligados ao governo. Será este o início de mais uma grande onda de ataques? Estará a polícia preparada para ligar com a criminalidade informática?
Quanto à última pergunta, a resposta é clara: não.

 

EDIT 22m30m: segundo esta informação, o ataque pode não ser verífico e tratar-se de um decoy/fake.

Ver
Esconder