Muito se tem falado da crise. Que é irlandesa, que é grega, que é portuguesa, que é espanhola, que é… muitos são os papões com que pretendem impor as medidas de austeridade: não vai haver dinheiro para as reformas, que não vai haver dinheiro para os salários, que se não acatarmos com resignação bovina o roubo que a cada dia nos sujeitam, que vamos acabar como os gregos e outras ideias feitas para fazer a opinião alheia.

 

Acção directa em Portugal cresce de dia para dia

 

Paralelamente assiste-se a um desfilar de escândalos por onde se vê fugir o dinheiro: BPN’s, BPP’s, PPP’s, empresas de formação dominadas por figurões com funções governativas que monopolizam fundos para logo entrarem em insolvência, submarinos cujas negócios obscuros levam a detenções na Alemanha mas que em Portugal não são punidos, resgates que vão única e exclusivamente para a banca e não são injectados na economia do país, silêncios cúmplices de quem devia falar em vez de comer bolo-rei e mostrar traços de uma cobardia esmagadora, abstenções de quem devia ser oposição, visitas de chanceleres que nos obrigam a medidas de segurança com custos proibitivos para a actual situação do país…
Mas a situação agrava-se e as pessoas despertam.
Deste modo, não é de admirar que também em Portugal, e à semelhança do que sucede em outros países atingidos pela crise, as pessoas comecem a acordar e sejam cada vez mais visíveis os sinais do descontentamento. Assim, chegaram até nós um conjunto de fotos e filmes que reflectem esse descontentamento e em que, tal como acontece noutros países, a revolta se dirige contra a banca, a visita de Angela Merkel e ainda, singularidade do caso português, essa entidade parasitária que quotidianamente explora todos os que vivem, visitam ou trabalham em Lisboa: a EMEL.
O envio das fotos não foi acompanhado de nenhuma nota em que se reclamasse uma filiação em nenhum movimento conhecido pelo que não é possível atribuir uma autoria à acção de protesto.

 

Ver fotos de acção directa enviadas ao Tugaleaks

 

 

Comentários

4 Comments

  1. José Gomes Ferreira para 1º Ministro

    É a única figura publica com coragem para dizer o que deve ser dito e que tem os conhecimentos necessários para fazer sair Portugal do atual estado

    Petição José Gomes Ferreira para 1º Ministro

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ver
Esconder