O assalto remonta a 2008 num Minipreço na zona de Mem Martins. Houve um agente condenado por pena suspensa e desde 2008 que o inquérito corre no Ministério Público.

 

O Tugaleaks tinha já chamado à atenção para esta situação em em Outubro do ano passado.

O vídeo, que voltamos a disponibilizar, traz a triste realidade de um agente da PSP, daquela zona, ter permitido um assalto. “Pararam, desligaram as luzes, deixa-os estar”, é ouvido no vídeo, enquanto assaltantes entram, segundo uma voz no vídeo “de caçadeira”, e assaltam um Minipreço.
O caso remonta a finais de 2008.

 

Desapareceu depoimento essencial no caso do agente da PSP que “permitiu” assalto a Minipreço

 

Apenas em 2012, Vítor Capelas, quase com 40 anos de idade, foi condenado a dois anos de cadeia mas com pena suspensa. Foi provado apenas o crime de favorecimento pessoal na forma tentada, ficando ainda por provar crimes de prevaricação e denegação da justiça.
Ainda assim, a defesa do agente da PSP recorreu para instâncias superiores, mas sem sucesso.

O agente, ainda hoje, presta serviço na esquadra da PSP no Cacém, aguardando ainda por uma decisão disciplinar há mais de um ano.

 

Inquérito ao assalto perde gravações importantes

Paralelamente a condenação do agente da PSP, decorre em Tribunal o inquérito ao assalto no Minipreço verificado no vídeo. O inquérito demorou a arranjar e foi apenas quando Vítor Capelas foi julgado que este ganhou força. Houveram várias sessões com várias testemunhas, incluindo os agentes que fizeram a investigação interna ao acontecimento.

Agora, segundo o Jornal O Crime, uma peça chave deste processo terá desaparecido: a gravação de um depoimento essencial neste caso.

Na divisão de Sintra da PSP nota-se um visível mau estar e há quem considere que é possível haver a prescrição judicial dos factos, deixando um crime que poderá até envolver um número grande de pessoas do efectivo policial.

Comentários

2 Comments

  1. Quantos elementos de segurança já foram banidos em Portugal ?

    … parece que está a aumentar …

    Todavia , tal como em outros crimes , nunca se consegue parar o Tráfico de armas , droga , corrupção , abusos sexuais … ; Caso não haviam Tribunais !

    Ora , podemos todos pensar que aqueles que juram a Constituição e pertencem a elites do Estado , tambem são de alguma forma criminosos , são humanos ; e relamente vão apanhando … um aqui … outro alí … mas são mais que as mães !

Responder a Kenneththirl Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ver
Esconder