Há bombeiros em Portugal que combatem chamas com viaturas que não tem vistoria. Muitos deles já reclamaram e uma associação de bombeiros pode avançar com queixa.

Há bombeiros que dão a vida para salvar vidas. Este é um dos “emblemas” de ser bombeiro, quer seja voluntário ou não. Mas, a vida pode ser preservada, tanto a do bombeiro como a da população, quanto as viaturas estão em bom estado.
Existem viaturas que não cumprem as especificações recomendadas, o que pode fazer com que o “salvara vidas” fique bastante mais complicado.

 

Foto:  Corpo de Bombeiros de Braga

 

A Associação Portuguesa de Bombeiros Voluntários promete apurar responsabilidade e apresentar queixa, inclusive contra a Autoridade Nacional de Protecção Civil mas no limite pode ser o Ministério da Administração Interna a responder por este problema.
Em causa está a não aferição e a adulteração das especificações dos carros de bombeiros.

 

90 carros sem vistoria adquiridos em 2012

O equipamento de protecção pessoal e as últimas viaturas adquiridas com fundos comunitários não têm ainda vistoria da UE. 90 carros comprados em 2012 não foram ainda “aprovados” pela União Europeia e as próprias corporações não receberam ainda 5% do financiamento que chega apenas após esta aprovação. E se estas viaturas forem usadas para serviço de protecção civil podem perder a garantia que protege o investimento efectuado.

Segundo o Jornal O Crime, algumas das viaturas já apresentaram defeitos e foram retornadas a uma empresa Portuguesa no Norte, para correcção.

Viseu teve uma viatura atribuída mas que depressa foi para correcção. A viatura já se encontra operacional, no entanto existem várias corporações de bombeiros com este tipo de problemas.

A Autoridade Nacional de Protecção Civil foi contactada pelo mesmo jornal que disse precisamente o oposto, que não existem problemas deste tipo e desde que uma viatura seja registada no Comando Distrital Operacional de Socorro (CDOS) a mesma está apta para o serviço.

Ver
Esconder