A primeira vez roeu a corda. O dono certificou-se que à segunda já não o fazia. Chama-se Melissa e foi salva de quem a queria ver morta.

Seis da manhã. O alerta é dado peclalos maquinistas. Um deles conta ao marido de Cláudia Oliveira, que é também maquinista. Sabem que a Cláudia é dedicada à causa animal.

Segundo as palavras da Cláudia que publicou a situação no Facebook, o cenário era de uma “cadela esquelética, desnutrida, desidratada, ferida e AMARRADA COM UMA CORDA AO CARRIL, DEIXADA PARA MORRER DE UMA FORMA ATROZ”.

 

Cadela amarrada duas vezes a um carril na linha de comboio do Douro

 

Conta ainda que “[c]onseguimos cortar a corda com uma pedra, dado que estava muito bem atada” e a Melissa, nome que deram à cadela, “simplesmente pulou para o meu colo de onde não queria sai”, pois a ajuda de um estranho pareceu-me, provavelmente, mais segura do que o abandono de um dono.

Já no veterinário, longe do perigo humano que a deixava praticamente à morte certa, ficou-se a saber que “está desnutrida e desidratada, tem ferimentos provocados pelo comboio (no focinho e costas) e possivelmente sarna”.

 

Cadela amarrada duas vezes a um carril na linha de comboio do Douro

 

A cadela foi vista duas vezes na linha do Douro. Uma no sentido Recarei-Trancoso e outra no sentido Trancoso-Recarei. A cadela terá roído a primeira corda que lhe puseram, mas que o dono deve ter voltado para acabar o “trabalho”.

O Tugaleaks contactou Cláudia Vieira que nos disse que a cadela está “a recuperar muito bem, já engordou 2 kg e é super dócil apesar de tudo”.

Existe uma Página de Facebook criada para dar conta do problema e a quem quiser colaborar, seja com donativos ou apoio, a página fornece os contactos de e-mail necessários. A recuperação da Melissa, embora um sinal positivo, nunca lhe vai tirar o susto que teve mas mais ainda a sorte que teve em ser salva.

 

Cadela amarrada duas vezes a um carril na linha de comboio do Douro

 

Cláudia queixa-se da lei em Portugal, afirmando que “[s]e a lei fosse mais dura e justa metade destes crimes não aconteceria”.
Esta situação é confirmada pela entrevista publicada pelo Tugaleaks em Maio deste ano onde o PAN – Partido dos Animais e da Natureza – afirmou que “animais não humanos partilham com o animais humanos o mesmo interesse em sobreviver, o mesmo interesse numa vida livre de sofrimento” e que apenas “as lutas de cães” são punidas criminalmente em Portugal, “com pena de prisão até um ano ou com pena de multa”.

As autoridades foram contactadas mas foi sempre “o jogo do empurra”.

 

Comentários

14 Comments

  1. Foi na semana passada que tive conhecimento deste caso através do facebook. Fiquei horrorizada com a tamanha crueldade de quem foi capaz de agir deliberadamente, por daus vezes, com o propósito de amarrar um animal a uma linha de comboio. Se era para abandonar, deixava-a ficar algures, não compreendo a maldade de amarrar o animal à linha do comboio. Não tem explicação: só se for por um hediondo prazer de gozar com tamanha maldade.
    Mas a minha surpresa maior viria mais tarde, ao publicarem as fotografias de corpo inteiro do animal. Esta cadela é igualzinha à minha cadela Linda, uma rafeira que também apanhei abandonada e com indícios de maltratada há 6 anos atrás, na zona de Parada do Bispo, em Lamego, num local onde é habitual caçadores abandonarem os cães. Como recolhi a minha Linda com uma idade entre os 6 meses a 1 ano, nunca tive uma imagem dela cachorra, mais novinha. Até agora! Pois as duas cadelas são mesmo iguais: as manchas castanhas são nos mesmos sítios, com as mesmas dimensões, o focinho igualsinho, a fisionomia…como é possível duas rafeiras serem tão iguais? E agora mais surpreendida fiquei quando li no vosso artigo que isto aconteceu na zona do Douro, onde também recolhi a minha Linda há 6 anos. Espero que esta seja tão feliz como tem sido a minha cachorra, que se tornou uma sombra na minha vida, como forma de mostrar em todos os momentos da sua vida a sua gratidão.

  2. Infelizmente ha pessoas que não merecem estar neste mundo.Os animais tem o direito de viver como nós.O que eu fazia a esta pessoa era fazer-lhe a mesma coisa que fez a cadela a ver se tambem gostava. Deus é grande e há-de lhe dar o castigo.

  3. Através de uma Camera de vídeo vigilância, esse monstro tem de ser punido severamente, estará lixado esse assassino asqueroso, filho da pu —, se viesses ter comigo levavas uma carga de porrada e atiava-te fogo ou acido, cobarde …

  4. Se souberem tenham a coragem e divulguem a foto e nome desse ordinário, sentimento paga-se da mesma forma, a nossa própria justiça é covarde,,,

  5. Esse canalha tem sorte… Eu sei o que ele anda a pedir aos gritos e garanto que não me importava nada de lhe fazer a vontade. Uma destas madrugadas ele iria aparecer atado ao carril. Se inteiro ou às postas, isso dependeria do destino ou de divinos desígnios…

  6. esse bandido ainda é mais bandido do que os próprios bandidos…mereçia ficar era atado aos carris do comboio para ver o sofrimento k lhe cabia…

  7. É triste que a evolução humana tenha produzido monstros em vez de seres humanos com valores morais mais elevados!

  8. Estou plenamente de acordo com todos, especialmente com algumas pessoas que dizem que faziam o mesmo ao dono o que ele fez ao animal.

  9. quando vi esta noticia fiquei a bater mal como é possivel esta crueldade , tenho dois caes uma cadelinha foi retirada da rua muoito parecida com essa , muito mal tratada mandeia operar hoje esta cadela é um verdadeiro amigo , dócil numca visto , fico triste com estas cenas

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *