Loading...

É organizado em mais de uma dezena de localidades em todo o país. Dizem “não” ao abate de animais e querem fazer um cordão humano pelos nossos amigos de 4 patas.

Cães, gatos e outros animais, são todos os dias vítimas de crimes, mas apenas na teoria. A prática é outra, porque os maus tratos a animais e o abandono não são punidos de forma adequada, conforme relata uma entrevista feita pelo Tugaleaks Maio passado.

Segundo o manifesto colocado no site oficial do evento, “[u]ma grande parte dos problemas que afectam negativamente os animais de companhia, tais como: o abandono, negligência e abuso/maus tratos, o seu comércio em lojas e feiras e as condições em que este acontece, manifestam-se localmente e podem ser prevenidos, impedidos e solucionados pelas Câmaras Municipais.

 

cordaohumano

 

É precisamente isto que este cordão humano pretende resolver.
O Tugaleaks entrevistou Rita Branco, organizadora do encontro em Lisboa, para saber um pouco mais desta indicativa que irá decorrer não só em Lisboa, mas também em Angra do Heroísmo, Braga, Bragança, Espinho, Figueira da Foz, Funchal, Palmela, Ponta Delgada, Porto, Póvoa de Varzim, Ribeira Grande, Santarém, Setúbal, Silves, Viana do Castelo e Vila Franca do Campo. Em frente às Câmaras Municipais de cada local indicado, encontram-se este Domingo pelas 16h (15h nos Açores).

 

Como surgiu a ideia do cordão humano?

A ideia de realizar o Cordão Humano partiu da Fátima Cerqueira Rocha que, revoltada com a política de abate que se vive na grande maioria dos canis Portugueses, decidiu abraçar este projecto como forma de sensibilizar as entidades competentes para o problema existente. Na altura a Céu Simas, congratulou-a pela iniciativa mas defendeu que seria interessante que, paralelamente, fosse elaborado um manifesto que, posteriormente, iria ser entregue nas Câmaras que tutelam cais onde se pratica o abate em detrimento da esterilização. A sugestão foi amplamente aceite e surge a ideia do Cordão Humano a ser realizado a nível nacional.

 

Falando apenas por Lisboa, a CM de Lisboa tem uma boa atitude para com os animais?

A CML tem tido ao longo dos anos uma péssima atitude com os animais colocando-os sempre no fim da lista de prioridades. Os animais do Canil de Lisboa, agora pomposamente intitulada de Casa dos Animais de Lisboa numa tentativa de enganar a população, tem um politica de abate constante e indiscriminada ao mesmo tempo que ignora por completo a necessidade de tratamento dos animais recolhidos, assim como a vacinação, esterilização e/ou castração dos animais. Já nas adopções os animais são entregues sem que haja qualquer triagem dos adoptantes e a quem é apenas pedido a colocação do microchip.
O resultado é que daqui 2 ou 3 meses o cachorro é abandonado pelo novo adoptante e começa o ciclo da proliferação uma vez que não foi castrado ou esterilizado. Lisboa deixa de ter de ter 1 problema para passar a ter 10 ou mais. Esta não é uma política que beneficie nem animais, nem as pessoas, nem a cidade, nem o país. As condições do canil são de tal maneira graves que o Canil foi sentenciado com a proibição de recolha de animais pois não existem as condições exigidas pela lei em vigor e aplicável, e não são adoptados os procedimentos igualmente impostos pela lei. Após uma fiscalização ao canil/gatil, os técnicos concluíram que o espaço não reúne condições necessárias para impedir a proliferação de doenças, uma vez que não existia espaço de quarentena que o fosse realmente. O tribunal decidiu ainda que deveria ser sempre efectuado um registo da observação clínica diária pelo médico veterinário, identificando os casos de doença. Foi ainda observado pelos técnicos as dimensões reduzidas das boxes e a falta de isolamento de animais doentes. As obras prosseguem a passos lentos…

 

Este cordão vai desfilar ou concentrar-se apenas?

Este cordão vai ser isso mesmo, um cordão humano que se concentra frente às camaras municipais que praticam o abate indiscriminado nos canis municipais. Não vamos realizar marcha mas iremos simplesmente unir as mãos pelos animais deste país. Ergueremos cartazes alusivos ao tema e à situação que se vive nos canis municipais. Iremos vestidos de preto simbolizando o luto pelos animais e levaremos uma faixa ou acessório verde que simboliza a esperança de conseguirmos mudar comportamentos e atitudes.

 

Quais são as principais alterações à lei que devem ser efectuadas para permitir uma maior dignidade aos animais?

Castração, esterilização, punição legal para quem abandona, obrigatoriedade de microchip, vacinação, erradicação de doenças nos canis, controlo de todos os elementos obrigatórios.

 

Tiveram algum apoio de partidos ou este é um evento apartidário?

Esta é uma iniciativa totalmente apartidária e que partiu unicamente de cidadãs/os particulares. E apenas existem algumas Associações da causa animal que coordenam alguns dos cordões.

 

Estão programadas acções de sensibilização ou luta para o futuro?

Ainda nada foi falado ou programado mas, creio, que este evento será o princípio de muitas e variadas acções futuras

 

Visita o site oficial do evento

 

Comentários

Loading...

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *