O Tugaleaks é um órgão de comunicação social social verdadeiramente independente. Não temos qualquer publicidade no site. Consulta aqui o nosso relatório de transparência mensal.

Envia a tua denúncia anónima aqui

O “Documentário AURORA”, que conta já com *20 mil visualizações no Youtube*, tem como objetivo principal esclarecer da forma mais sucinta e abrangente possível o paradigma da sociedade contemporânea portuguesa. Os temas abordados parecem diversos à primeira vista, como o ‘sistema monetário’ ou a ‘energia’, mas complementam-se de forma a apresentar uma visão holística da situação atual. Dividido em capítulos, com uma duração não superior a trinta minutos, baseia-se na apresentação de factos suscetíveis de causarem uma tomada de consciência e na apresentação de possíveis soluções que corrijam os diferentes defeitos intrínsecos do sistema vigente.

Dinheiro

O primeiro capítulo desta série documental foi lançado no passado dia 5 de dezembro e é intitulado de “O dinheiro à grande e à Portuguesa”. Neste primeiro capítulo é explicado o paradigma económico do sistema monetário na sua essência. A partir deste ponto, o espetador entenderá como as políticas monetárias atuais estão, à partida, condenadas ao fracasso. Esperar que “a mão invisível” dos mercados corrija os problemas que por ela foram criados é contraditório. O povo diz que “o amor ao dinheiro é a raiz de todos os problemas”, e enquanto não interiorizarmos esta realidade, não nos será possível evoluir pacificamente para um novo paradigma.

Vivemos atualmente uma das piores crises financeiras das últimas décadas. Esta crise, já intitulada por muitos como a “Grande recessão”, foi precipitada pela falência do banco *Lehman Brothers* dos Estados Unidos da América, em 2008. A Islândia foi o primeiro país a declarar bancarrota, o que levou a comunidade internacional a perceber que nenhuma instituição, independentemente do seu tipo, é grande demais para fracassar.

Todos nós ouvimos, quase diariamente, falar da crise da dívida portuguesa que precipitou a intervenção da ‘troika’, da crise da moeda única, das revoltas e tumultos sociais. A falta de informação clara e inequívoca pelos meios de comunicação sobre a essência destes acontecimentos, tornou necessário que um grupo de portugueses se unisse, e, trabalhando em conjunto, desse início ao projeto intitulado “Documentário AURORA”.

Comentários

11 Comments

  1. documentário muito bom , duvido k alguma vez passe no “merdia” , porque segundo eles são temas muito complicados para os portugueses entenderem

  2. Gostei bastante, é preciso começarmos a abrir os horizontes.
    Não podemos resolver os problemas actuais se não pensarmos “out of the box”. O sistema como o conheçemos está em declínio.

  3. Interessante, mas não vi soluções nenhumas os sugestões para obter essas soluções.
    Queimar o dinheiro? lol!
    Acho k fazer do dinheiro um bicho mau pouco adianta, o que é preciso é procurar e aplicar soluções alternativas, e isso parte de cada um.

  4. Não faz mal Makro, como eles (media e outros) nos teem censurado, manipulado e oprimido durante anos já tamos acostumados a ter essa mesma reacção.

    Gostei imenso do documentário, espero que um dia consigamos chegar a esse nível. Ate la temos que continuar a lutar, combater a censura, opressão e corrupção a favor da liberdade e igualdade de todos.

    1. Apos ter visto o video ocorreu-me se na constituição declara que somos um estado popular podemos exigir a suspensao do pagamento da divida por X anos, a divida devera ser paga atraves das exportações, obrigar a todas as empresas que retiram lucro de portugal, a um plano de investimento atraves da banca ou atraves da criação de postos de trabalho, por X anos, suspender todas as concessoes de minerios ou qulquer outra materia prima, digamos uma nacionalização temporaria, lucrar com lucra ja é habito, temos de aplicar um custo ao lucro, como na noite e no dia, se existe juro obrigatoriamente existe risco, na execuçao de dividas onde os bancos fossem os maiores executores teriam a obrigação de saldar todas as dividas da mesma incluindo funcionarios ou nomear uma administração durante X anos de modo a que se desenvolva a economia outra vez, todos os que lucram com o estado obrigar a planos de desenvolvimento, controlar proactivamente exigir previsao de lucros nas importações, especialmente nas retiradas de capital, o investimento obrigatorio.

      Sinceramente se tal nao for possivel perdemos o controle da nação e curiosamente não me lembro de ter vendido a minha parte do pais

      Marcos Luz

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *