Várias embaixadas de Portugal pelo mundo foram nos últimos dias vitimas de defaces e ataques. Alguns ataques “menos visíveis” continuam disponíveis.

 

Várias Embaixadas de Portugal vitimas de ataques informáticos nos últimos dias

 

Á semelhança do que aconteceu com as Juntas de Freguesia há uns meses, as Embaixadas de Portugal sofrem de um possível grande problema: a maior parte têm sites iguais.
É algo positivo quando se tenta reduzir a despesa pública, aproveitar um design e distribui-lo pelos vários sites das embaixadas espalhadas pelo mundo.
O que é mau é quando o código com que o site é feito apresenta falhas e pode levar não só ao mau nome de Portugal e ao embaraço de Portugal no estrangeiro, mas também ao sucesso de equipas de hacking que se dedicam a encontrar essas falhas.

Foi o caso de pelo menos três embaixadas de Portugal que desde dia 18 foram atacadas por duas equipas de hacking dierentes, reporta o Zone-H. Podem existir mais mas não reportadas neste repositório de ataques informáticos mundialmente conhecido.

No que diz respeito às que estão reportadas no Zone-H, a Embaixada de Portugal na República Checa foi atacada no fim de semana e segunda-feira de manhã ainda estava com um deface em todas as páginas. Já a Embaixada de Portugal na Alemanha foi também atacada e o ficheiro robots.txt do site ainda contém a “assinatura” do atacante. O mesmo aconteceu com a Embaixada de Portugal em Espanha onde o ataque foi o mesmo e o robots.txt ainda está disponível.

O ficheiro robots.txt serve para controlar como os motores de busca “vêm” um site, e uma configuração errada ou “hackada” pode significar a perca de relevância de resultados na web ao se pesquisar por estas embaixadas.

O facto de haver dois tipos de ataques a três sites de Embaixadas pode provar que existem dois métodos de ataque ou que uma das duas equipas que os executou é mais experiente que a outra.

De qualquer forma, de uma coisa estamos convictos: falta, novamente, seguranças nos sistemas informáticos de Portugal.

Ver
Esconder