Nomes, moradas, contribuintes e telefones são apenas alguns dados que estão disponíveis num ficheiro txt sem qualquer segurança.

 

O Tugaleaks tem vindo a avisar que o aparelho do estado está bastante desprotegido informaticamente. Este é mais um exemplo de abuso do aparelho do estado sobre os dados privados do cidadão e neste caso específico de docentes.

Este ficheiro mantém 974 registos desde há um ano atrás até Junho deste ano. A proveniência ou a forma como os dados foram obtidos, está ainda por esclarecer.
A obtensão deste ficheiro pode ser feita apenas com uma pesquisa no Google, estando a sua indexação em violação de normas básicas de segurança e/ou programação.

 

NOTA LEGAL: o ficheiro indexado está alojado no próprio servidor e o Tugaleaks não mantém qualquer cópia do mesmo

 

O ficheiro é do Centro de Formação de Associação de Escolas Ordem de Santiago, que, segundo o próprio site, “é uma entidade pública de formação para os profissionais do sector da Educação, constituído pelas Escolas/Agrupamentos dos concelhos de Setúbal, Palmela e Sesimbra”

O site da escola está sob o domínio edu.pt, do Ministério da Educação

 

Queixa na Comissão Nacional de Protecção de Dados

O Tugaleaks não podia ficar indiferente a esta violação de dados pessoais. Não é nosso objectivo fazer a divulgação dos dados, mas sim alertar. E um link não é um crime.
Antes pelo contrário, crime é a disponibilização de dados pessoais ao público sem o consentimento das partes envolvidas, consentimento esse que é altamente improvável haver.
Assim, na qualidade de movimento cívico, o Tugaleaks apresentou uma queixa na CNPD que deverá ser analisada o quanto antes (preferencialmente antes do ficheiro ser apagado, o que deverá acontecer ainda hoje).

Entidade pública revela dados pessoais de professores

(clica para ampliar)

 

 

É com tristeza que vemos mais uma vez o próprio estado a incorrer em crimes e ainda mais triste que hajam outros exemplos como este espalhados por Portugal.

 

Comentários

3 Comments

  1. Mas isso não impediu ao Tugaleaks de publicitar e partilhar documentos com informações pessoais como por exemplo dos polícias da esquadra de Chelas.

    Lágrimas de crocodilo…

  2. Se “Não é nosso objectivo fazer a divulgação dos dados, mas sim alertar.”
    Podias ter alertado os “rapazes” da falha de segurança.

    Afinal tu é que os divulgaste. Lol.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ver
Esconder