O Tugaleaks é um órgão de comunicação social social verdadeiramente independente. Não temos qualquer publicidade no site.

Envia a tua denúncia anónima aqui

No centro de várias manifestações e ao som de petardos estão estivadores. Conseguimos uma entrevista com dois estivadores. Hoje mostramos a primeira entrevista.

Costumam-se chamar efectivos ou permanente ao que tem contrato de trabalho sem termo. O que não tem contrato individual sem termo, em princípio em regime de trabalho temporário chama-se eventual (em vez da expressão precário).
O efectivo tem ordenado base o eventual não.

 

Entrevista com Estivadores – parte 2

 

É assim que eles se tratam, unidos e presentes nas manifestações dos últimos meses. O Tugaleaks, em colaboração com a Caramela – uma página de Facebook que tem crescido nas últimas semanas e colocado grandes fotos de estivadores – entrevistaram dois estivadores. Um efectivo e um eventual.

Fizemos-lhes 9 perguntas iguais e nenhum tinha conhecimento que o outro iria responder às perguntas. Assim, podemos ver reacções e respostas em parte diferentes mas em tudo iguais: na luta pelos seus direitos.

Este Estivador tem 30 anos. Entre 1 operação a um joelho e hérnia já viu a morte três vezes à sua frente.
Este estivador queixa-se que “nunca, ninguém quis saber a verdade nem sequer se preocupou a procurar a verdade”.

1 – Porque é que os Estivadores estão em luta e que montantes o Governo está a querer “retirar” aos Estivadores?

Estivadores estão em luta, pelos postos de trabalho, o GOVERNO a mando dos patrões, decidiu criar uma LEI em que abdica de ter trabalhadores qualificados a exercer certas funções.
Basicamente eles estão a Extinguir o ” posto de trabalho “.
Nós nunca dissemos que não queríamos mais gente, queremos sim, que entre os necessários para satisfazer a falta de mão obra, mas que entrem com as nossas condições. Dizemos NÃO a PRECARIEDADE.
Nós estamos em luta contra o desemprego no sector e contra a precariedade. Com esta lei, facilmente somos substituídos por trabalhadores precários. Têm o caso de LEIXÕES, históricos ganham muitos €€€€€, trabalhadores mais novos ganham pouco acima do ordenado mínimo.
Este trabalho não é fácil, requer muita atenção e muita prática.
Por esse mesmo motivo quando se entra, vamos como trabalhadores eventuais, ha medida dos anos e das necessidades vão fazendo curso de máquinas e subindo para Efectivos.
Nós (Estivadores) somos os únicos operários, na EUROPA, ou talvez até do MUNDO, em que fazemos uma GREVE para poderem subir X empregados para os quadros. Não conheço mais ninguém que o faça.

 

2 – A vossa profissão é “dura”? Os rumores de que trabalham por vezes mais de 12 horas por dia podem ser confirmados?

Isso é mentira, mínimo 8horas, máximo não tem hora para chegar a casa. Mas posso dizer, que normalmente é 16horas a trabalhar, das 8am as 24.
E dessas horas, muitas vezes somos obrigados a fazê-las e temos família a nossa espera.
Depois leio estas noticias e nem sei o que dizer/pensar —http://inimigo.publico.pt/Noticia/Detail/1575602
Já percebem até que ponto eles nos querem mandar abaixo?

 

3 – Como reages às notícias veiculadas na comunicação social sobre os brinquedos poderem não chegar a tempo do Natal por vossa causa? Consideram isto uma intimidação do Governo ou de outra entidade?

Isso foi inventado pelo nosso maior critico, (Bruno Bobone) foi este Sr que envenou a opinião publica, quando espalhou por todo o lado que ganhávamos mais de 5000€, passado 1 semana, ja só ganhava 3500€, dia seguinte era 2750€, até eu próprio fiquei sem saber quanto ganhava.
Mas apôs uma pequena investigação pelo GOOGLE, viemos a descobrir que este mesmo sujeito ocupa estes lugares:
Presidente do Conselho de Administração do Grupo Pinto Basto
Presidente da Associação Comercial de Lisboa / Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa
Presidente da Câmara de Comércio Internacional Portugal
Presidente da Direcção da Confederação Internacional dos Empresários Portugueses
Presidente da Direcção do Fórum Empresarial da Economia do Mar
Administrador da Sociedade Agrícola da Quinta de Fôja, SA
Percurso Profissional
Administrador da Aleluia Cerâmica, Comércio e Indústria, SA
Presidente da UNIAPAC Europe (Associação Cristã de Empresários)
Presidente da Agepor Associação dos Agentes de Navegação
Vice-Presidente da ACEGE
Administrador da VA Grupo Vista Alegre Participações, SA
Administrador da Caima, Cerâmica e Serviços SGPS, SA
Fonte –» http://www.fem.pt/lac/Biografia/BrunoBobone.htm
O mesmo SR ocupa tanto lugar de DESEMPREGADO.
Agora pergunto eu, quem ganha mais de 5000€ ??? E mesmo que os ganhasse, não era a ROUBAR nem a TRAFICAR, era a trabalhar no DURO.

 

4 – Os Estivadores são associados às pessoas mais “duras” nas manifestações. Porque é que achas que isso acontece?

Não nos considero ” duros “, na manifestação de 14Novembro, os duros foram os outros, de capacete e escudo, aquele que conseguiram identificar MEMBROS do IRA, coisa que ninguém conhece, exceptuando os PSP de Lisboa. Desde já os meus parabéns.
Na nossa manifestação, não lançamos PEDRAS, lançamos flores, como vêm, até somos boas pessoas.

 

5 – O alegado lançamento de petardos é associado também à “força” da vossa luta. Consideram que estes e outros métodos fazem já dos Estivadores um “marco” nas manifestações recentes e futuras?

Em vária manifestação que fui, já vi muita gente que não é Estivador, a lançar petardos. Eu acho que é mais uma forma de chamar a atenção e não tem nada de errado.
Os próprios JUIZES dizem o mesmo.
Dêem graças a DEUS, o povo lançar petardos e dar URRAS e etc, etc, pois isto não anda para brincadeiras e um dia, o povo vai-se revoltar, depois vão desejar que só fossem petardos.

 

6 – Existem diversos factos, como a actuação da PSP, que podem indicar que a PSP está especialmente atenta ao vosso “grupo”. Como reages a esta possível pressão?

Não temos nada a Esconder nem a temer. Lutamos pelos nossos postos de trabalho, poucos o fariam igual a nós.
O grande ” karma ” de muita gente, é que nós somos bastante unidos, somos 1 só, e é isso que eu sinto um grande orgulho na minha família ” ESTIVADOR ” .

 

7 – Além das manifestações nas quais os Estivadores estão presentes, podem-se esperar mais formas de luta?

Temos uma musica de NATAL
http://www.youtube.com/watch?v=qi5AZr9AVMk
Esta para breve algo semelhante, mas claro, não só isto, o resto é um segredo.

 

8 – No Porto de Leixões vive-se segundo consta um “clima de terror”. O que nos podes contar sobre a situaçãodos teus colegas?

Acerca deste assunto, não vou comentar muito, porque se lerem este artigo, diz tudo —»http://www.dinheirovivo.pt/Economia/Artigo/CIECO074546.html
Mas sim, vive-se mesmo um clima de terror e angústia por parte daqueles que todos os dias são escravizados.

 

9 – O que é preciso da parte do Governo para os Estivadores se sentirem com os direitos “de volta” e retomarem a sua actividade sem greves ou paralizações?

A gente só quer, que o GOVERNO rasgue a lei que dita o fim da profissão, que deixe de favorecer os patrões e olhe também um pouco para nós ( maneira geral )
Até porque, eles não sabem nada do que falam quando tentam dizer algo acerca dos ESTIVADORES.
Até lá, a gente não se RENDE.
WE NEVER WALK ALONE, PROUD TO BE A DOCKER

 

Comentários

1 Comment

  1. Os estivadores tem toda a razão para se manterem firmes na greve.

    Ninguém gosta de “passar de cavalo a burro”, ou seja, trabalhar de borla? Trabalhem os patrões.

    Parabéns pela persistencia.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *