Desde a música “The internet is for porn” dos Avenue Q, até aos vários sites que existem, a pornografia é altamente propagada pelo fenómeno da Internet.

Por isso, não é de admirar que a Internet seja uma das maiores vias impulsionadoras para consumo de conteúdos adultos. Hoje em dia numa sexship os vídeos em DVD (ou antigamente os VHS) não são certamente os artigos mais procurados.

Em Portugal este tema já foi mais badalado. No tempo do Sá Leão e dos vídeos que ele fazia, ao convidado regular em programas como o Herman Sic, ou até à pornstar conhecida internacionalmente Erica Fontes, o tema já teve melhores dias.

A Internet, pelo seu fenómeno descentralizado, veio proporcionar um conjunto de sites para cada tipo de conteúdo para adultos. Mas não há um “Google porn”, pelo que há que mostrar o bom trabalho do Porn Dude, que tem vindo a agregar todo o tipo de conteúdos para adultos, devidamente categorizado, para que possam ser visitados e facilmente encontrados.

Mas ainda sobre a Internet e a pornografia, e além do site mencionado, há certamente alguns factos interessantes que provavelmente não sabes:

1 – Começamos por te dizer que 25% das pesquisas em motores de busca estão relacionadas com sexo. E aqui não nos limitams a dizer filmes pornográficos, mas sim à compra, curiosidade, comparações, informações ou derivados da temática em si.
2 – Ora, se 25% das pesquisas são sobre sexo, não é de admirar que 33% dos downloads sejam de conteúdo pornográfico na Internet.
3 – Da mesma forma que, nos Estados Unidos, 40 milhões de pessoa dizem visitar sites pornográfico uma vez por mês, pelo menos.
4 – Em relação à faixa etária, as pessoas que mais consomem este tipo de conteúdos têm entre 35 e 49 anos.
5 – Este facto até pode ser surpreendente, mas um terço das pessoas que visitam sites pornográficos são mulheres…
6 – O domingo é o dia preferido de qualquer pessoa para ver sites pornográficos.
7 – 64% dos jovens entre os 13 e 24 anos procuram pornografia pelo menos uma vez por semana.
8 – Um estudo do Reino Unido descobriu recentemente que 44% dos adolescentes entre 11 e 16 anos que consomem pornografia de forma repetitiva têm ideias de coisas que querem testar com os seus parceiros.
9 – A categoria “teen” ou “adolescentes” tem ocupado o top das pesquisas há mais de meia década.

Ora, factos à parte, isto não vem da nossa cabeça. São informações baseadas em vários estudos feitos com base em amostras e pessoas reais, respondendo a questionários com evidência científica.

Mas utilizar este tipo de sites pode ser prejudicial. É preciso moderação e contenção.

Um estudo datado de 2013 na revista Cosmopolitan, com base em 68 terapeutas sexuais no Reino Unido, concluiu que a pornografia prejudica as relações e que 90% das pessoas que eles seguem e que consomem este tipo de conteúdos teve problemas na relação derivados à pornografia.

No meio de toda a informação, assim como vemos os anúncios de bebidas alcoólicas a indicar “beba com moderação”, também estas tendências devem ser vistas com moderação e ponderação.

Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ver
Esconder