O fim de semana é sempre e antes de tudo o mais uma ruptura cíclica e uma continuidade: ruptura com algo que se esgota, continuidade de um fluxo histórico e temporal. Mas é-o também na medida em que se conclui mais uma semana de agitação social e de constantes atropelos às nossas vidas e se dá início à renovação de algo de extraordinário que todos vivemos a 15 de Outubro de 2011 em São Bento, a 12 de Março, na Primavera Global, a 15 de Setembro, a 21 de Setembro ou a 5 de Outubro: as vozes de todos os que discordam de uma sociedade onde as crianças vão para a escola sem pequeno almoço, onde os idosos são forçados a optar entre o comprarem a medicação ou a alimentação, onde pareceres “éticos” indicam práticas de homicídio selectivo de matriz eugénico-economicista ao aconselharem o racionamento terapêutico a doentes crónicos, onde não há emprego e as pessoas são forçadas a emigrar; onde cada vez há mais pessoas a viver na rua; onde as principais maternidades do país são cada vez mais as ambulâncias dos bombeiros, onde aqueles que são nossos assalariados e nos deviam defender e representar mais não fazem do que nos roubar e insultar; onde a impunidade e a corrupção ao nível dos lugares decisores do Estado são a norma; onde os direitos e a dignidade dos que trabalham e pagam impostos (ou que já o fizeram e farão) são continuamente postos em causa; onde se referenciam, perseguem, detêem e processam activistas somente por delitos de opinião, onde se demonizam e ridicularizam os que reclamam uma mudança e os abusadores se entronizam; onde se recusam e sonegam apoios a pessoas portadoras de deficiência e que iriam permitir o levarem uma vida digna; onde se descrimina por género, raça, condição social, ideias ou credo; onde os suicídios aumentam por falta de esperança; onde o ar e o viver se tornam irrespiráveis e impraticáveis, … se vão erguer por todo o país num conjunto de protestos, eventos e manifestações e bem alto se vai ouvir a voz dos que dizem: BASTA!

 

Fim de semana de resistência

 
É disso que se trata: de fazer valer os direitos fundamentais de todo o cidadão, de não se ceder a pressões, roubos, insultos, ameaças…
É por isso que no dia 13, um pouco por todo o país, a cultura e a arte descem à rua em protesto e apoiando um povo que não desiste de reclamar os seus direitos, renovando uma longa tradição dos artistas ao serviço da mudança social!
É pela consciência que os problemas são, cada vez mais, algo de global, que se fazem protestos à escala global como o Global Noise!
É por a indignação não ser algo que esmoreça que irá decorrer entre 14 e 15 de Outubro uma vigília frente à Assembleia da República!
É por isso que no dia 15, dia da entrega do Orçamento de Estado, vamos estar todos em São Bento a cercar os que nos cercam e cerceiam a vida!
É por não ser possível suportar mais medidas de auteridade, orçamentos manhosos, ditames da Troika, bitaites do FMI, agendas ocultas governamentais, desemprego, fome, miséria, falta de acesso a cuidados de saúde, à habitação, à justiça que iremos estar todos juntos num fim de semana de resistência!
É pelas nossas vidas, pelas dos nossos pais e filhos, pela memória dos que já partiram e pela esperança dos que virão que vamos sair à rua e protestar!
E é por isso que sabemos que podemos contar contigo e com todos os homens e mulheres livres deste país que vão deixar de vestir a pele de ovelhas submissas e cada vez mais se assumem enquanto cidadãos!

 

Lista das actividades deste fim de semana

Estas actividades vão sendo actualizadas no nosso Facebook.

Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *