O Tugaleaks é um órgão de comunicação social verdadeiramente independente. Não temos qualquer publicidade no site. Consulta aqui o nosso relatório de transparência mensal.

Envia a tua denúncia anónima aqui

Belmiro encontra-se na lista dos homens mais ricos do mundo, subindo 337 posições recentemente. As declarações efectuadas sobre os Portugueses não caíram bem nas redes sociais.

A lista da Forbes dos homens mais ricos do mundo conta com três nomes Portugueses: Américo Amorim, na posição 267 com 79 anos, Alexandre Soares dos santos e família, na posição 609 com também 79 anos e Belmiro de Azevedo na posição 687 com 75 anos.
Ainda segundo a Forbes, a riqueza de Belmiro vem do retalho, que é apenas um dos vários negócios que Belmiro tem.

O presidente do conselho de Administração da SONAE, que está envolvida em várias áreas de negócio como hoteis, retalho, supermercados e outras, embora no terceiro lugar da lista nacional, foi o que mais subiu em termos de ranking mundial passando do 1024º lugar para a 687º posição segundo afirma o Esquerda. A sua fortuna é de 2.5 mil milhões de dólares.

 

belmiro_azevedo_sonaeFoto: Hipersuper

 

Declarações “insultam” Portugueses

Em declarações recentes, Belmiro de Azevedo afirmou que os Alemães trabalhavam mais do que os Portugueses.
Das declarações, podem reter que “Os salários só podem aumentar – e oxalá que isso aconteça — quando, de facto, um trabalhador português fizer uma coisa igual, parecida, com um trabalhador alemão ou inglês, seja o que for”

Já em 2013 Belmiro tinha dito à comunicação social que “Diz-se que não se devem ter economias baseadas em mão-de-obra barata. Não sei por que não. Porque se não for a mão-de-obra barata, não há emprego para ninguém”.

 

Empresas de Belmiro escravizam trabalhadores

Um dos exemplos que o Tugaleaks investigou no ano passado diz respeito à Worten. A empresa, do Grupo Sonae, comete várias ilegalidades laborais, fazendo a venda “forçada” de serviços extra, obrigado o funcionário a solicitar alterações de folga e horários em vez de ser a empresa a pedir e praticamente ignorando o estatuo do trabalhador-estudante.

 

 

Várias pessoas nos últimos dias têm demonstrado o seu descontentamento contra as declarações de Belmiro de Azevedo, nomeadamente nas redes sociais Facebook e Twitter.

Comentários

1 Comment

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ver
Esconder