O site do Freeport, anteriormente denunciado no Tugaleaks como tendo falhas de segurança, continua a proporcionar aos hacktivistas alguns dados que “espalham” posteriormente na Internet.

 

Site do Freeport novamente na mira de hackers

 

Não é um caso recente, já que o Tugaleaks denunciou em Julho passado que o site do Freeport continuava vulnerável passados 7 meses do ataque sofrido.
Agora, quase 10 meses passados, voltamos ao início e temos novamente dados expalhados na Internet.

 

Site do Freeport novamente na mira de hackers

 

O e-mail recebido pelo Tugaleaks apresenta dois links para o “pastebin”, um site conhecido pelo seu alojamento de código mas também por ser o “dump” de informações por vezes inacessível.

O primeiro link mostra alegadamente algumas password. Temos como exemplo, retirado do site, o user ‘Catarina’ com a password ‘1234’.
O segundo link mostra também uma password do user ‘admin’.

Embora o Tugaleaks não tenha testado quaisquer dados, no artigo escrito há alguns meses sobre a contínua falha do Freeport, é apontado nos comentários o aparente sucesso da operação.

 

O caso Freeport na justiça

Enquanto ao Procuradoria Geral da República “estranha”, Pinto Monteiro incrimina Sócrates. Este é um dos casos mais mediáticos dos últimos anos envolvendo várias figuras públicas e políticas. Mais notícias sobre o Freeport aqui.

Comentários

3 Comments

  1. Boa Daniel, confessa a m*rda que fazes.

    Quando estiveres na prisa a apanhar no cu de um gordo de 120 kg eu bebo uma beer à tua.

    Talvez devesse publicar o resto dos teus dados com o resto dos teus amiguinhos criminoso.

    Pergunta ao Miguel, parece que ele abandonou logo o barco da LulzSecPT cheio de medo.

  2. Após arquivados, os processos deveriam ser postos à consulta livre por qualquer cidadão. Quando alguém que não tem dinheiro e recorre a um Tribunal, e pede apoio juridico é obrigado a apresentar os seus rendimentos IRS não só ao tribunal como à outra parte em conflito. E aí já não há proteção de dados, para os mais fracos e necessitados. Isto da proteção de dados torna-se inconstitucional deveria ser revisto, pois desta forma só favorece os ricos, os poderosos e a Mafia Portuguesa.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ver
Esconder