O Tugaleaks é um órgão de comunicação social verdadeiramente independente. Não temos qualquer publicidade no site. Consulta aqui o nosso relatório de transparência mensal.

Envia a tua denúncia anónima aqui

O Canil/Gatil de Setúbal tem, segundo o site oficial e as informações recolhidas junto do Município, capacidade para seis gatos. Mas, onde cabem seis parecem caber treze.

Tudo começa nos dias 3 e 4 de Abril, quando foram capturados treze gatos em Azeitão pelo Gatil Municipal. Segundo fonte da Câmara Municipal de Setúbal, “após a captura os animais são submetidos a exame clínico pelo veterinário que elabora relatório e decide do seu ulterior destino, ficando os gatídeos durante um período mínimo de oito dias para poderem ser reclamados pelo detentor, no caso de não reclamação passam para a adoção”.

Esta podia ser uma captura normal e benéficia para os gatos que vivem na rua não fosse um pequeno pormenor: o gatil apenas tem capacidade para seis gatos, segundo o site oficial desta mesma autarquia.

Onde ficaram treze gatos, num canil para seis?
E de onde apareceram treze gatos?

 

gato

 

 

A resposta a estas duas questões chegou quando o Tugaleaks chegou ao contacto com Clara Soares, a pessoa que dias mais tarde foi buscar a maioria dos gatos ao gatil municipal.
Ao Tugaleaks, Clara Soares contou que “como tenho uma casa lá e havia uma colónia que era alimentada por alguns vizinhos e por mim fiquei desconfiada que fossem os “meus” (…). Fui a Azeitão e gatos nem vê-los”.
Deslocou-se ao Gatil Municipal onde encontrou os “seus” gatos, que alimentava numa colónia. Todos os treze “numa jaula”.
Relata ainda que “ainda falei com o vet e o fiscal para perguntar porque tinham ido buscar os gatos num sítio de quintas isoladas… Claro que percebi que tinha sido uma denúncia… Perguntei-lhes ainda como é que trazem gatos que estão identificados. Porque já tinha esterilizado dois e tinham tatuagem na orelha, mas enfim não me responderam…”.

O Tugaleaks não esteve no local e por isso não sabe como conseguiram treze gatos ficar num local onde em segurança podiam habitar apenas seis, mas Clara Soares afirmou com conhecimento de causa que “os gatos estavam em pânico, e não estavam confortáveis porque eram muitos num espaço tão reduzido”.

 

Ou seja, a Câmara Municipal de Setúbal foi recolher, provavelmente por denúncia, gatos que estavam alimentados e tratados para os colocar numa jaula que excede os níveis adequados de conforto para um gatos, tudo isto para que a pessoa que os tratava e alimentava os ir buscar dias mais tarde.
Confrontado com esta situação, um activista dos animais, que preferiu não se identificar, indicou ao Tugaleaks, em jeito de pergunta, que “se fazem isto aos animais, o que podemos esperar deles para com o tratamento dos seres humanos?”.

Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *