Loading...

A partir de um pedido de contacto do Tenente Machado do Destacamento de Trânsito de Carcavelos, foi possível desencadear uma série de pedidos de esclarecimentos absolutamente desnecessários sobre uma falsa notícia.

Alegadamente, o caso foi tão “sério” que até o General Comandante-Geral contactou o MAI (Ministério da Administração Interna) para saber o que se passava.

Afinal, tratava-se de um site de “fake news”, ou seja, um endereço propositado de notícias falsas que são disseminadas pelas redes sociais.

No mês passado, o Tenente Machado, responsável em substituição do Destacamento de Trânsito de Carcavelos, terá enviado o seguinte e-mail aos seus subordinados:

“Camaradas,

Relativamente à noticia lançada através do site “cnoticias.net” onde podem visualizar através do seguinte link: http://www.cnoticias.net/58a1ba51b54bd/alteracoes-no-transito-da-gnr.html informo o seguinte:
1. Contactado o Exmo. Sr. Comandante do Comando Territorial de Lisboa, o mesmo já tinha conhecimento da referida noticia e informou que a mesma não tem qualquer fundamento. O mesmo já questionou o Comando Geral e o nosso Exmo. General Comandante-Geral que posteriormente esclareceu com o Ministério da Administração Interna.
2. A noticia é lançada por usuários de blogs não tendo qualquer fundamento conforme se pode ler no final da página do mesmo site: “Este é um site de entretenimento, as notícias são criadas pelos usuários. As notícias são de conteúdo humorístico e fictício; não devem ser levadas a sério ou utilizadas como fonte de informação”

 

Ou seja, com base nos dados de um site claramente falso, foi desencadeada a seguinte situação:

  • O responsável do Destacamento de Trânsito de Carcavelos contactou o Comandante do Comando Territorial de Lisboa
  • Este, sabendo que a notícia era falsa, ainda contactou o Comando Geral (General Comandante-Geral)
  • Que por sua vez contactou o Ministério da Administração Interna

O Tugaleaks falou com alguns militares que se mostraram perplexos sobre o porquê de um site com óbvios indícios de ser falso gerou um aparato tão grande.

Contactada a GNR, esta não respondeu no prazo legal para o efeito.

 

GNR Perde processo em tribunal

O Tugaleaks intentou um processo contra a GNR por recusa em prestar informações. A sentença, proferida há umas semanas, foi a de que o nosso órgão de comunicação social podia aceder aos processos internos já findos. Foi exactamente isso que aconteceu, no passado mês de Fevereiro, onde o Tugaleaks consultou um processo (dos vários a que irá brevemente solicitar consulta) envolvendo a antiga Comandante do Destacamento de Trânsito de Carcavelos, agora Major.

A GNR continua ainda assim a ignorar prazos de resposta, devidos e espectáveis, que constam no Código do Procedimento Administrativo, cumprimentando de forma continuada a resposta devida a este órgão de comunicação social sobre vários temas desta força de segurança.

Comentários

Loading...

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *