O comandante de um Posto Territorial da GNR perdeu um material de guerra, alegadamente durante o serviço. Já foi aberta uma investigação para apurar as circunstâncias.

O Posto Territorial de Leiria ficou sem um rádio do SIRESP. Este rádio, pertencente ao Sistema Integrado de tecnologia trunking digital para a Rede de Emergência e Segurança de Portugal, é um rádio com localização GPS que permite comunicações seguras, específicas para operações com militares, e com foco na transmissão rápida e segura de informação.
Em termos de segurança, o rádio permite autenticação via código, chamadas cifradas e autorizar ou desautorizar terminais.

No passado dia 27 de Outubro o Sargento responsável pelo posto, C. A., perguntou aos homens do Posto Territorial onde estava o seu rádio, aparelho esse da sua responsabilidade e que está sempre á sua guarda. A última utilização do aparelho foi no dia 3 de Outubro.
Chegou mesmo, segundo informações que chegaram ao Tugaleaks, a revistar os armários dos guardas sem a presença destes, armários esses onde são guardadas armas, munições e restante material que lhes é atribuído.
O facto dos militares não estarem presentes aumentou o desconforto que alguns homens tinham em relação ao tratamento do Comandante do Posto, o qual afirmam “desconfia dos seus homens”.

Os militares temem que o Comandante do Posto possa incriminar alguns dos guardas daquele serviço.

 

14042011 FORCAS POLICIAIS NO TRIBUNAL DE SOURE EM VIRTUDE DE EST

 

GNR confirma situação

Contactado o serviço de relações pública das GNR, o Major Marco Cruz afirmou que “confirma-se o desaparecimento de um rádio da rede SIRESP que estava distribuído ao Posto Territorial de Leiria. Em resultado desse desaparecimento já foi aberto procedimento disciplinar de âmbito interno”. Afirma ainda que “[o]s equipamentos de comunicações atribuídos à Guarda permitem a sua desativação, impedindo desta forma a sua utilização por terceiros, pelo que esta medida foi de imediato tomada logo após o conhecimento do desaparecimento”.

Embora não tenha sido indicado quando foi aberto o processo, fontes ligadas ao Posto Territorial informaram-nos há alguns dias que “o Comando Geral da GNR (Lisboa) poderá muito bem não ter sequer conhecimento de tal situação por estar o Sargento a ser encoberto pelos comandantes de Destacamento de Leiria”, situação que não foi possível confirmar pelo Tugaleaks.

 

Saber mais sobre a rede SIRESP

Este manual, disponível na Internet, dá uma informação detalhada sobre esta rede que, além das operadoras móveis, se usa pelos serviços das forças de segurança, bombeiros, entre outros.

Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ver
Esconder