O ataque informático nem sempre vem pela colecta de e-mails ilegal ou pela desfiguração de um website. Um ataque informático pode vir pela… informação.

Vários grupos da cúpula dos Anonymous Portugal continuam a participar na #OPBanksters. Na semana passada recolheram e-mails, atacaram websites colocando-os offline ou com conteúdo alterado (também denominado de “deface”) e ameaçaram inclusivamente o Governador do Banco de Portugal de que estariam, alegadamente, a recolher informações sobre ele.

 

Bancos continuam sob ataque informático e hackers chamam “criminoso” a Passos Coelho

 

No dia 17 de Agosto lançaram um comunicado intitulado “Comunicado para banqueiros e corruptos”, acusando o Primeiro-Ministro Português, Pedro Passos Coelho, de ser “corrupto” e de ter “11 processos”. Dizem também que “não têm medo” de entidades como o SIS, SIREP, PJ, NSA, FBI, etc.

A operação, que dura há quase duas semanas sem um aparente fim, visa demonstrar que os bancos são entidades corruptas. Depois da divulgação de e-mails começaram a divulgar dados de pessoas, focando-se em pessoas que estiveram no Governo e posteriormente foram parar à banca.

 

A Cartilha

“A Cartilha” é o nome dado a um “leak” com mais de 2000 linhas que destaca várias personalidades ligadas anteriormente ao Governo que se encontram neste momento na banca ou noutras empresas.

Consultar ficheiro

 

Dos dados vistos pelo Tugaleaks, destaca-se o facto de o trabalho como Deputado ou Ministro levar posteriormente a cargos em empresas de grande capital, algum público ou de bens essenciais (como é o caso da EDP) ou mesmo em bancos.

 

Entretanto vários bancos Internacionais continuam com e-mails e informações disponibilizadas na Internet como se pode ver pelo registo de actividade no Pastebin.
A operação #OPBanksters não tem fim á vista e o Tugaleaks vai continuar a acompanhar esta operação.

Ver
Esconder