O Tugaleaks é um órgão de comunicação social social verdadeiramente independente. Não temos qualquer publicidade no site. Consulta aqui o nosso relatório de transparência mensal.

Envia a tua denúncia anónima aqui

Impossibilidade manifesta de preencher documento deixa muitos desempregados sem saber o que fazer.

A situação passou-se este mês. Um desempregado recebeu uma carta do IEFP (Instituto do Emprego e Formação Profissional, I. P.) para preencher e devolver. O objetivo? “Renovar” a inscrição no Centro de Emprego.

Até aqui tudo normal, não fosse o facto do documento já vir preenchido… de forma no mínimo estranha. O Nome do inscrito, bem como a empresa, estão todos preenchidos com “X”, o que impossibilita escrever o nome da pessoa.

A carta “ameaça” ainda que, “[s]e não responder procederemos à anulação da sua inscrição”. Mas como pode o cidadão responder se, não tem como preencher?

 

A situação foi denunciada pelo antigo Diretor do já extinto Jornal O Crime, Carlos Tomás. Enquanto profissional, foi responsáveis por exclusivos e tem uma extensa carreira de investigação jornalística na área criminal.

Carlos conta, no seu Facebook, que “Uma familiar inscreveu-se no Instituto do Emprego e Formação Profissional dizendo que estava desempregada e receptível a propostas de emprego em qualquer área desde que tivesse competências para tal”. Diz que “nunca foi contactada”. Ao publicar a foto, questionou ainda “alguém consegue preencher por cima dos “X” o nome e, caso até já estivesse a trabalhar, o nome da empresa empregadora?”

 

IEFP responde “em branco”

O Tugaleaks tentou ouvir o IEFP para perceber como isto podia ter acontecido. Contactado o assessor de imprensa do organismo público, recebemos apenas, e de forma automática uma resposta… em branco.

A confirmar-se que este documento seguiu assim para mais pessoas, e nada aparenta dizer que não, parece que não é apenas as cartas para os utentes que são mal “configuradas”.

Conheces situações anómalas a acontecer na Administração Pública?
Envia uma denúncia anónima ao Tugaleaks!

 

Foto: Facebook

Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *