Num artigo publicado esta semana, o Correio da Manhã decidiu publicar opiniões pessoais de jornalistas ditas num grupo privado.

O artigo, aparentemente inofensivo, fez mais uma vez abalar a confiança peculiar que algumas jornalistas e cidadãos tinham no Correio da Manhã – se é que ainda restava algumas. O CM, à procura do populismo, esqueceu-se de mencionar que o comentário do Facebok estava num grupo privado de Jornalistas, e que estes têm, como deviam ter, direito à sua opinião pessoal.

 

CM vai buscar opiniões a grupos privados no Facebook sobre o bikini da Judite de Sousa

O artigo, publicado pelo CM a 14 de Agosto, diz que “levantou ontem uma enorme onda de contestação”. Essa mesma contestação virou-se ao contrário no próprio grupo privado de jornalismo, ao qual o Tugaleaks tem acesso há vários meses.
Sem qualquer respeito pela vida pessoal ou profissional da jornalista, ou sequer um consentimento para uso da sua opinião, o Correio da Manhã decidiu citar a jornalista como “Ex” de José Sócrates.

 

CM vai buscar opiniões a grupos privados no Facebook sobre Judite de Sousa

 

Administrador do grupo comenta a situação

Joaquim Vieira, um dos administradores do grupo privado no Facebook, esclarece que sendo “um grupo acerca acerca de comunicação e jornalismo, e formado em grande parte por jornalistas, não vejo necessidade de que haja aqui informações privilegiadas. Os jornalistas devem ser transparentes. Se se batem pela transparência e o escrutínio dos poderes públicos, só vejo vantagem em que tornem a sua atividade também transparente e escrutinável. É claro que há uma matéria reservada na atividade dos jornalistas, que é a confidencialidade das fontes, mas este também não o local para quebrar essa confidencialidade. Nunca, jamais, em tempo algum”
Já em relação à notícia do CM, afirma que “[o] que se passou classifica o tipo de jornalismo de quem o fez. Como defendo a máxima liberdade do jornalismo, não vou ao ponto de condenar a atitude. É uma opção que tenho de aceitar, mesmo que pessoalmente me desagrade. Se houve alguma violação de alguma lei, que se queixe e se defenda quem de direito. Por outro lado, quem intervém neste espaço deve ter a consciência do alcance das suas palavras”.

 

Fernanda Câncio foi também contactada mas preferiu não comentar a situação.

O uso de informações do grupo de jornalistas já foi também efectuado pelo DN e a jornalista Joana Latino (S)C, que na altura manifestou o seu desagrado.

 

Vale a pena apresentar queixa?

judite-de-sousa-capa-revista-carasQuando Fernanda Câncio apresentou queixa por ser tratada como “namorada de José Sócrates”, o Conselho Deontológico do Sindicato dos Jornalistas considerou em 2009 ser “tecnicamente incorrecta e deontologicamente reprovável o enfoque e identificação da jornalista como sendo ‘namorada de’”. Já para a Comissão da Carteira Profissional de Jornalista é de “de interesse público” saber-se essa informação. Dois pareceres diferentes na mesma área.
No entanto, sabe-se pela leitura do Tugaleaks que raros são os casos em que uma queixa contra o Correio da Manhã dá bons frutos.
No final de 2012 o então Movimento Cívico Tugaleaks apresentou queixa na ERC contra o Correio da Manhã por mencionar erradamente uma informação numa entrevista que foi, inclusivamente, gravada. Da deliberação 19/2013, que se encontra online, pode ler-se que devia ser efectuada a “… publicação do texto em tantos suportes quantos aqueles que serviram de plataforma para a difusão do escrito original, ou seja, edição impressa e on-line… ”. Tal publicação nunca surgiu. Por duas vezes o Movimento Cívico Tugaleaks questionou a ERC sobre a multa aplicada ao CM, quer pelo atraso quer pela não publicação online do direito de resposta, mas nunca obteve resposta.
Já em 2013 o Tugaleaks noticiou que a ERC tem tido vários “avisos” ao CM pela violação de direitos de resposta e outros, mas que nunca passam de avisos, não havendo qualquer informação, pelo menos pública no site da ERC, sobre coimas aplicadas ao Correio da Manhã.

 

Se é jornalista ou está ligado à comunicação e pretende fazer parte do tal grupo privado, pode fazer o seu pedido. Mas lembre-se, o que disser pode ser usado numa próxima notícia e provavelmente contra si.

Comentários

4 Comments

  1. a democracia é mesmo uma armadilha! eu que detesto jornalismo de sarjeta,por isso não leio pasquins tipo CM, tenho que reconhecer que têm muita audiencia e que a posição correcta é quem quer come quem não quer põe na beira do prato. não há duvida que todos os bons (nós) e o maus(eles9 têm direito a viver. qunado mijam fora do penico, multa neles.

  2. Boa noite.
    Alguem me explica,o que é que estas figurinhas ditas célebres ou famosos,contribuem para o nosso bem estar?bom ,para quem tem uma vidinha pouco interessante,lê revistas ditas…cor de rosa?.
    É que as ditas celebridades,abrem portas a mta gentinha.Onde há procura há oferta e há os jornalistas?destas revistas que tristes andam atrás das ditas para venderem revistas e jornais do….social.interessante não è?
    Na realidade,somos um país e neste aspecto os americanos e europeus são iguais,saberem onde é que cinhas jardins,castelos brancos.,lilis caneças etc.passaram férias,ou que marca de roupa usam.
    Poupem-nos e haja paciência para tanta inbecilidade…

  3. Em concreto,sobre a jornalista Judite de Sousa.
    É evidente que é uma figura publica televisiva.
    Mas alguêm tem o direito de passar os limites da vida privada de alguêm,mesmo sendo figura pûblica?
    Só se estas revistas pensam que com estas noticías sobre a vida privada das pessoas,as façam voltar atrás nas suas decisões.
    Enquanto existir esta mentalidade tacanha portuguesa de falar da vida dos outros,e existir pategos que compram estes jornais ou revistas,onde saem estas notícias…..
    Já não basta sermos pobres com toda esta crise,mas com estas mentalidades,mais pobres ficamos.Haja pachorra para viver neste…..pedacinho de terra na europa

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ver
Esconder