A 19 de Janeiro a Ministra da Justiça publicou em DR um Despacho a oferecer subsídio de férias e de Natal a um nomeado para o seu gabinete. Mas os funcionários públicos já não têm direito a isso.

O Tugaleaks publicou em Novembro passado que os deputados da AR iriam receber subsídio de férias e de Natal e até ao momento teve mais de 3.500 partilhas pelas redes sociais. A notícia foi entretanto desmentida pelo Governo. O facto é que nós não vemos os ordenados dos governantes, uma vez que essa informação é privada ao povo, que é a quem eles servem. Irónico, não?

Agora, a 19 de Janeiro de 2012, a Ministra da Justiça publica o despacho 1210/2012 (note-se que o governo deve ter muito a dizer, para em Janeiro ter feito 1209 despachos…) onde oferecia “remuneração mensal correspondente a € 3892.82, acrescida dos subsídios de férias e de Natal”.

Ministério da Justiça

 

Como diz e muito bem o Expresso, esta informação foi já publicada na integra, mudando apenas o nome, em Outubro passado. Em Janeiro já depois da “lei da austeridade para funcionários públicos” ser aprovada, voltam a fazer o mesmo comunicado.
Se foi na íntegra, supomos que terá sido para as mesmas funções.

Se vão recrutar outra pessoa para as mesmas funções, podem aproveitar a dica para lhes solicitar um correto copy paste com leis atuais. Caso contrário, há muitos desempregados a saberem copiar texto.´

A notícia já foi desmentida. No entanto se um cidadão se enganar no IRC paga imposto ou multa para preencher novo ou por  preenchimento incorreto. No MJ, aparentemente, não acontece nada. E isto é apenas um dos muitos exemplos que vão lesar o cidadão e deixam impune a classe da política.

O facto é que nem na AR nem deste novo funcionário público, conseguimos ver a verdade nos seus recibos de vencimento.

Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ver
Esconder