Sexta-feira foram 400EUR. Ontem 150EUR. O sistema está a aprender a fazer dinheiro fácil, mas com os inocentes. A arguida não tenciona “pagar nem cumprir coisa nenhuma”. A activista em questão… distribuiu panfletos.

 

 

MP pede 150EUR para “arquivar” um processo de desobediência qualificada

A luta é um direito de todos. Esta manifestante vai lutar. Membra do MSE – Movimento Sem Emprego, está constituida arguida por distribuir panfletos à porta de um centro de emprego, como é recordado neste artigo do site do MSE. Ontem, foi fazer o mesmo acto que lhe valeu o “crime”.

Foi constituida arguida a 26 de Abril. Desde então, esperava resposta a mais uma criminalização do protesto que está na “moda” da praça pública. Já sexta-feira passada a um outro activista foi-lhe pedido exactamente o mesmo por organizar uma manifestação.

Num comunicado deixado pela própria na página do Artigo 21º, pode ler-se que “(…) Já há um advogado a acompanhar o caso graciosamente. Não tencionamos pagar nem cumprir coisa nenhuma uma vez que não cometi qualquer crime. Iremos proceder judicialmente contra quem procedeu com a queixa e com o processo. (…)”

E assim continua a criminalização do activismo em Portugal.

 

 

 

 

 

Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ver
Esconder