O Tugaleaks é um órgão de comunicação social verdadeiramente independente. Não temos qualquer publicidade no site. Consulta aqui o nosso relatório de transparência mensal.

Envia a tua denúncia anónima aqui

Chama-se Coronel Vivas. Pelo que o Tugaleaks apurou não gosta de ser tratado por “Papafina”, que é o seu nome. E sempre que acontece alguma polémica volta atrás na sua decisão.

Coração de Alto Alentejo, em Portalegre. É lá que Joaquim António Papafina Vivas, Coronel de Cavalaria com nomeação para aquele posto desde 2017 foi nomeado comandante do Comando Territorial de Portalegre.

Apesar da sua nomeação em janeiro de 2017 e das longas polémicas à volta das suas decisões, o Tugaleaks questionou se em alguns dos casos identificados iria ser aberto ou se já estava aberto, pelo menos, um processo de averiguações. Recebemos silêncio.

Um silêncio igualmente sentido pelo gabinete do Ministro da Administração Interna que, tal como a GNR, decidiram não responder ao pedido do Tugaleaks.

Perante dois anos de polémicas, qualquer cidadão se poderia questionar: até quando vai isto durar?

 

A nomeação de familiar

Estava a cerca de um ano da sua nomeação quando em fevereiro de 2018 o Tugaleaks noticiou, em exclusivo, uma nomeação duvidosa para um Posto Territorial, o Posto Territorial de Alpalhão.
Na altura, esta nomeação para um Posto Territorial – ou PTer, como se chama na GNR – tinha um aumento de vencimento na ordem dos 100EUR por mês. 

O despacho, conforme tinha noticiado o Tugaleaks, era “provisório” mas durava há mais de meio ano.
Após a publicação da nossa notícia, o despacho tornou-se “não efetivo” e foi regularizada a situação do Posto, sendo este um dos casos em que a notícia tem um efeito prático na legalização das situações.

As viaturas mal distribuídas

Este é um caso de pura matemática. Em fevereiro deste ano foram distribuídas para a GNR 124 viaturas, sendo que 5 delas foram para o Comando Territorial de Portalegre.
Mas dessas 5, 4 delas foram colocadas ao serviço exclusivo dos Comandantes de Destacamento e apenas 1 foi entregue a um Posto Territorial para ajudar no patrulhamento e na ajuda à população. A situação foi denunciada pela APG, a maior associação da GNR a nível nacional, e depois da notícia publicada pelo Jornal A Ponte a situação foi regularizada.
De acordo com a mesma fonte, “segundo nos foi possível apurar após esta denúncia da APG/GNR as novas viaturas que estavam ao serviço dos Comandos de Destacamentos de Portalegre, Elvas, Ponte de Sôr e Nisa foram entregues aos Postos Territoriais de Alter do Chão, Elvas, Montargil e de Castelo de Vide, para alem de uma que inicialmente já tinha sido entregue ao Posto Territorial de Ponte de Sor”.

Mensagem do Coronel Papafina Vivas, disponibilizada no Facebook da GNR.

 

Sucata a céu aberto ao lado do Centro de Formação

Dias depois das viaturas, novamente uma situação denunciada pela APG. Desta vez, a denúncia de carros a céu aberto, que podem até potencialmente prejudicar o ambiente e até ser uma situação contrária à lei.
Trata-se de uma sucata, de viaturas velhas da GNR, que estão dentro do Centro de Formação da GNR, onde brevemente vai começar um novo curso.

Ao DN, que divulgou a situação em primeira mão, também não foram prestados esclarecimentos quanto a esta situação ilegal.

 

Conheces outras injustiças no setor militar ou policial?
Então envia uma denúncia ao Tugaleaks de forma anónima!

Foto: Rádio Elvas

Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *