A PJ deteve no norte um agente da PSP e o seu cúmplice por carjacking. O agente, já com uma pena suspensa, bem como o cúmplice, foi presente ontem a tribunal.

A PSP do Porto tinha ao seu serviço um dos seus agentes com antecedentes criminais por furto e tráfico de droga. A pena estava suspensa por roubo. Estava ao serviço da PSP do Porto, em serviço não operacional.
A PJ recolheu provas do PSP e do seu cúmplice, um técnico informático desempregado, que os colocam na A-3 quando sequestraram e atropelaram um cidadão colombiano.

 

 

PJ “esqueceu-se” de referir um dos visados como agente da PSP

A PJ enviou um comunicado de imprensa ontem, mas “esqueceu-se” de referir que se tratava de um agente de outra força p0licial. A notícia foi data pelo SOL e confirmada posteriormente pela PSP do Porto.
O comunicado, que o Tugaleaks disponibiliza na integra, informa o seguinte:

A Polícia Judiciária, através da Diretoria do Norte, identificou e deteve dois homens pela presumível autoria de crimes de sequestro e roubo agravados e tentativa de homicídio, perpetrados em 15 do corrente mês e ano, na autoestrada A3, junto às portagens da Maia, no sentido Braga / Porto, sobre um cidadão, proveniente de Espanha e que se dirigia para a cidade do Porto.

A vítima foi primeiramente abordada pelos detidos numa área de serviço anterior àquelas portagens, seguidamente obrigada a abandonar esse local na companhia de ambos, acabando brutalmente atropelada por um deles quando, junto às referidas portagens, fugiu da viatura em que seguia em busca de ajuda.

Os detidos, com as idades de 45 e 40 anos, um dos quais já com antecedentes, foram presentes a primeiro interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação tidas por adequadas.

 

Agente da PSP pode ser expulso

Segundo avançou também o SOL, o agente da PSP pode ser expulso pois já decorre um processo disciplinas contra este e que, mesmo antes da detenção, que foi levada a cabo com a colaboração da PSP para com a PJ e o Ministério Público.

 

Ver
Esconder