Grupo hacktivista insurge-se contra uso secreto de drones e está a planear novos ataques contra outrass instituições que os compraram bem como a PJ.

A PSP gastou 300 mil euros em Drones num contrato classificado como Secreto a 19 de Julho do ano passado. Desde há cerca de algumas semanas, quando se soube da situação que muitas pessoas demonstraram o seu descontentamento.

Hoje, um novo grupo hacktivista conhecido como Worldmach1n3 iniciou um ataque contra o site da PSP. O site foi rapidamente abaixo, tendo a PSP, segundo o Tugaleaks apurou, efectuado o habitual procedimento: bloquear todos os endereços de IP que não sejam de Portugal.

 

Grupo hacktivista insurgiu-se contra Drones secretos e atacou o site da PSP

 

Contactámos o Oficial de Serviço da PSP em Lisboa que desconhece a situação e não quis prestar qualquer esclarecimento, remetendo o Tugaleaks para o Departamento de Comunicação que entrará ao serviço amanhã a partir das 9h.

O Tugaleaks falou com os hacktivistas por detrás deste ataque. São mais de 60 mas apenas 4 atacaram o site, tendo-o deixado offline ao final da tarde de hoje.
Segundo contaram ao Tugaleaks, “este Grupo é constituído por membros Portugueses e Brasileiro”, “nós queremos demonstrar aos governos que o povo esta acordado”.

Afirmam ainda que, depois da PSP, o “próximo ataque será Contra a GNR” que também possui drones e que já se estão a organizar nos preparativos para este alvo.

Deixam ainda um recado à PSP: “que a PSP mude o painel e mude o dominio porque já temos a informação do user e password”, “ou param com a corrupção ou para a proxima é pior”, deixando a informação de que podem já ter acesso aos sistemas informáticos da PSP.

 

Ataque PSP

 

Bloquear IPs não é solução

Na opinião de um especialista em segurança informática, que não se quis identificar, “o bloqueio de endereços de IP torna-se fútil, basta para isso o ataque ser levado a cabo por endereços em Portugal”.

 

O site encontra-se  já momentaneamente online e, segundo o Tugaleaks apurou, o grupo pretende atacar a GNR e também a PJ brevemente tendo já no passado efetuado outras acções além de ataques informáticos a sites como a divulgado de dados de várias contas de PayPal.
As actualizações dos alvos a atacar podem ser seguidas na página de Facebook do grupo.

Ver
Esconder