O mesmo cidadão que anteriormente efectuou uma queixa contra vários políticos por “fraude no sistema monetário” apresentou agora queixa a PGR contra mais de 30 bancos.

Ivo Margarido é empresário e nos últimos tempos tem sido conhecido como a pessoa que desafia o sistema monetário actual. Já apresentou queixa à Procuradoria-Geral da República (PRG) contra Passos Coelho, Cavaco Silva e outros Governantes por autorizarem um sistema monetário que é desigual na distribuição de riqueza e de rendimentos.

Na altura, Ivo Margarido contou ao Tugaleaks a propósito da sua anterior queixa que “por se tratar de uma queixa inédita em Portugal, não posso ainda afirmar qual será o desfecho, uma vez que não existe jurisprudência nesta material” mas mostra-se confiante ao ponto de efectuar outra.

 

Cidadão apresenta queixa contra  mais de 30 bancos nacionais por fraude no sistema monetário

 

Nesta queixa, que disponibilizamos, cita por exemplo Marriner Stoddard Eccles ‐ Governador da Reserva Federal em 1941 quando disse “Se não houvesse dívidas no nosso sistema financeiro, não haveria dinheiro” e afirma que “os ora denunciados cobram assim dinheiro que não existe, por empréstimos que nunca poderiam ter concedido, sendo através deste mecanismo fraudulento que a verdadeira riqueza é invariavelmente transferida das pessoas e das empresas para os Bancos, pois a impossibilidade imposta de pagar os empréstimos fará com que os Bancos executem os seus créditos, apropriando‐se dos bens”.

Esta afirmação pode fazer bastante sentido, tendo em conta que o crédito malparado, mais conhecido como “dívidas ao banco” atingiu um novo limite histórico em Setembro deste ano, segundo o Banco de Portugal.

Questionado pelos problemas pessoais que estas queixas lhe podem trazer, o Ivo afirma peremptoriamente que “os problemas já são uma realidade no presente” e que “há retaliações de toda a espécies porque “sendo visados os mais altos interesses instalados, é fácil antever que as retaliações serão cada vez mais opressivas

 

Queixa apresentada

Comentários

2 Comments

  1. Não vale a pena fazer queixa destes mafiosos de merda. aprecio o seu esforço e coragem mas estes mafiosos têm advogados muito bons e mesmo se isto fosse a tribunal ia demorar anos porque os gajos iam esticar o caso até morrermos todos e provavelmente safavam-se no fim.

    O que é preciso é uma revolução popular, mas como os portugueses são um povo que gosta de levar no cu pois vai sempre na cantiga do político, e que votam sempre no mesmo partido, não tenho muitas esperanças.

    O que estás a fazer aqui é gastar o teu dinheiro neste tempo difícil e isto não se vai resolver e o pior é que ainda podes receber ameaças de morte como acontece muito.

    Peace brotha

  2. Não te esqueças que o mundo está nos répteis transfiguradores, eles andam nos postos mais altos do governo e comandam os políticos como marionetas. Nós estamos aqui para procriar e encher o planeta e no fim todos nós vamos servir de comida para os réptilianos. quanto mais cedo as populações se revoltarem, mais temos hipótese de mudar isto tudo e por os políticos atrás das grades.

    Já agora se alguém duvidar do que disse procura Phil Schneider. Ele foi um agente de governo que denunciou que os alienigenas estavam a fazer experiências com seres humanos e era o próprio governo que entregava as pessoas para os experimentos.
    os rockefellers então sao uma raça que quer controlar os povos com um chip RFID. Este chip será colocado no braço e terá toda a vossa informção (CARTÃO DE CRÉDITO, B.I,) e se quizeres revoltar-te, olha, eles desligam o chip e fodes-te.

    Isto tudo para dizer que o governo actual português está muito bem estabelecido e é difícil lutar contra ele pois eles apoiam-se uns aos outros. e tu estás a fazer queixa a um banqueiro e são os banqueiros que têm o governo na mão e eles é que decidem praticamente tudo cá em Portugal e não só, também no mundo.

    Tem cuidado com o que faazes pois é gente muito mafiosa e poderosa com que andas a lutar.

    Peace brodha

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ver
Esconder