O mesmo cidadão que anteriormente efectuou uma queixa contra vários políticos por “fraude no sistema monetário” apresentou agora queixa a PGR contra mais de 30 bancos.

Ivo Margarido é empresário e nos últimos tempos tem sido conhecido como a pessoa que desafia o sistema monetário actual. Já apresentou queixa à Procuradoria-Geral da República (PRG) contra Passos Coelho, Cavaco Silva e outros Governantes por autorizarem um sistema monetário que é desigual na distribuição de riqueza e de rendimentos.

Na altura, Ivo Margarido contou ao Tugaleaks a propósito da sua anterior queixa que “por se tratar de uma queixa inédita em Portugal, não posso ainda afirmar qual será o desfecho, uma vez que não existe jurisprudência nesta material” mas mostra-se confiante ao ponto de efectuar outra.

 

Cidadão apresenta queixa contra  mais de 30 bancos nacionais por fraude no sistema monetário

 

Nesta queixa, que disponibilizamos, cita por exemplo Marriner Stoddard Eccles ‐ Governador da Reserva Federal em 1941 quando disse “Se não houvesse dívidas no nosso sistema financeiro, não haveria dinheiro” e afirma que “os ora denunciados cobram assim dinheiro que não existe, por empréstimos que nunca poderiam ter concedido, sendo através deste mecanismo fraudulento que a verdadeira riqueza é invariavelmente transferida das pessoas e das empresas para os Bancos, pois a impossibilidade imposta de pagar os empréstimos fará com que os Bancos executem os seus créditos, apropriando‐se dos bens”.

Esta afirmação pode fazer bastante sentido, tendo em conta que o crédito malparado, mais conhecido como “dívidas ao banco” atingiu um novo limite histórico em Setembro deste ano, segundo o Banco de Portugal.

Questionado pelos problemas pessoais que estas queixas lhe podem trazer, o Ivo afirma peremptoriamente que “os problemas já são uma realidade no presente” e que “há retaliações de toda a espécies porque “sendo visados os mais altos interesses instalados, é fácil antever que as retaliações serão cada vez mais opressivas

 

Queixa apresentada

Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ver
Esconder