A Rede Expressos, líder no transporte de passageiros por Portugal inteiro, tem no seu website e nas suas práticas alguma falta de transparência e informações corretas.

 

Venda de bilhetes online na Rede Expressos com falta de transparência

 

Tentámos, sem sucesso, contactar a Rede Expressos na sequência da denúncia anónima recebida. O contacto que se apresenta no site como “institucionais e profissionais” não atendeu os nossos 76 telefonemas em vários dias a várias horas.
Da mesma forma, o e-mail que enviamos segunda feira com a intenção de obter uma resposta desta entidade sob esta denúncia também foi em vão.
Conseguimos porém confirmar um ponto importante: nem todas as bilheteiras nas estações da Rede Expressos têm Internet.

 

A denúncia

No passado dia 28 de Julho do corrente ano, foi reservado um bilhete através site da Rede Expressos. Como a pessoa em causa não possui impressora, foi com o número de reserva e o BI, tal como indica o website. A viagem era de Marinha Grande para Lisboa no dia 28-07 (com regresso no dia seguinte). Entretanto foi contactada a bilheteira da Nazaré onde lhe disseram que aparentemente havia má fé do motorista. E efectivamente houveram problemas, com o motorista a “ameaçar” o cidadão de que iria ter que sair na próxima paragem. De notar que, em horário de funcionamento e nesse dia, as bilheteiras da Marinha Grande estavam encerradas. O assunto ficou resolvido com insistência e falando cum um chefe numa outra estação, que indicou ser preciso imprimir o bilhete à chegada (em Lisboa) mas que deixou o cidadão viajar até ao destino. De notar também que na bilheteira da Nazaré indicaram que “nem todas as estações têm Internet” e que a bilheteira da Nazaré era um dos casos.

 

A compra no site não é clara

Embora o site da Rede Expressos diga no fim de efectuarmos uma compra que “A apresentação da impressão do bilhete recebido por email, no final do processo de compra, é obrigatória no momento do embarque.”, o mesmo site, nas perguntas frequentes, para a pergunta “Tentei comprar um bilhete via Internet, reparei que não tenho tinta na impressora, e agora?” obtemos a resposta “Anote a referência que lhe foi atribuída, e com esse número dirija-se às bilheteiras ou aos quiosques Net Expressos e levante o seu bilhete.”. Informações ligeiramente diferentes.
O Tugaleaks conseguiu confirmar que existem bilheteiras sem Internet e que é provavelmente impossível imprimir um bilhete da Internet, tendo em conta que não existe Internet. Também não é claro, se a impressora é um factor obrigatório e eliminatório, ou se existem estações, já indicadas antecipadamente, que não possuem a facilidade de impressão.

Sem acesso a outras ofertas

O acesso Wifi é segundo o próprio site também uma das ofertas disponíveis. De 5 viagens efectuadas e confirmadas ao Tugaleaks, apenas em duas delas foi possível a ligação à rede Wifi e à Internet com sucesso. Em outras duas vezes a rede existia mas não apanhava Internet e numa delas a rede não existia. Neste último exemplo o motorista foi questionado mas não apresentou solução.

 

O Tugaleaks, como movimento activista da Internet, recomenda sempre que compras online sejam a vanguarda e o futuro da e na Internet. No entanto, e tendo em conta várias situações pouco claras que foram detectadas na compra de bilhetes online, recomendamos algum cuidado nestas compras. A sua viagem pode ficar a meio caminho.

 

Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ver
Esconder