Rui Rio pode ter ganho uma batalha, mas não ganhou a guerra. O colectivo de membros do Es.Col.A decidiu re-ocupar as instalações no dia 25 de Abril. Haverá liberdade para isso?

Foi a 19 de Fevereiro que houve o despejo da Es.Col.A que ocupava uma escola abandonada no Porto. Os seus membros um dia depois em Assembleia Geral no dia seguinte decidiram re-ocupar. A re-ocupação é no dia da liberdade, mas está sob fortes olhos das autoridades tanto camarárias como policiais do Porto.

 Es.Col.A

Será que vão conseguir? A perseverança e o dinamismo deste grupo move e supera qualquer um em Portugal. Um dia depois da brutalidade policial (e de ataques informáticos) a força de criar um futuro melhor não só para eles, mas para todos, falou mais alto.

Em entrevista ao Tugaleaks, um dos membros da Es.Col.A comenta o sucedido com uma pequena entrevista:

Vão ocupar novamente a Es.Col.A?

Em assembleia realizada no dia 20 de Abril, dia seguinte ao desalojo e na qual participaram cerca de 150 pessoas, foi decidido re-ocupar a Escola Primária do Alto da Fontinha no dia 25 de Abril.

 

O que esperam que aconteça na re-ocupação?

Essencialmente esperamos que as pessoas, sejam elas quem forem e venham de onde vierem, se mobilizem para uma acção concreta e que não se esgote neste acontecimento.

 

As pessoas que foram presas, feridas ou agredidas vão apresentar queixa das autoridades?

Foram detidas três pessoas de forma violenta. Uma delas teve de receber tratamento hospitalar e vai apresentar queixa das agressões policiais a que foi sujeita.

 

Como classificam a atitude de Rui Rio perante o vosso despejo?

É uma atitude de um político que usa o autoritarismo porque não consegue ganhar o respeito, de alguém frustrado por não conseguir entender e sobretudo controlar uma força vital que o ignora. Ferido no seu ego, optou por bloquear esta pulsão colectiva de forma desproporcionada e maquiavélica.

 

Se tivessem que fazer tudo de novo, mudariam algo?

As decisões foram tomadas colectivamente e em consenso e com o objectivo de respeitar as vontades dos moradores da Fontinha. Apesar de as consequências actuais não nos satisfazerem, o Es.Col.A sempre assumiu e assumirá as suas responsabilidades. Sempre encarámos o projecto como uma construção que se vai fazendo com avanços e recuos,
críticas e reflexões.

 

O Tugaleaks espera que a liberdade de ocupação seja respeitada e entendida favoravelmente no dia em que tantos lutaram para sermos o que somos hoje. E esperamos que não aconteça isto…

Es.Col.A: a história e a violência policial que não passa nas televisões

… porque isto não é a democracia pelo qual tanta gente lutou no passado!

Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ver
Esconder