O Tugaleaks é um órgão de comunicação social social verdadeiramente independente. Não temos qualquer publicidade no site. Consulta aqui o nosso relatório de transparência mensal.

Envia a tua denúncia anónima aqui

O SAPO atingiu a maioridade. O portal, originalmente como um apontador, é um nome reconhecido na Internet em Portugal. Entrevistamos hoje Celso Martinho, um dos seus fundadores.

O Portal SAPO começou dentro da Universidade de Aveiro. Actualmente faz parte do Grupo PT e tem serviços de Internet ADSL, actualmente numa oferta convergente com o serviço MEO.

Nascido a 4 de Setembro de 1995, o SAPO era inicialmente um apontador de sites. Um “motor de busca”, mas adaptado, pensado e desenhado há 18 anos. Lançado por seis membros da equipe de informática da UA o SAPO criou uma parceria com a Telepac quatro anos após ser fundado, em 2005 lançou o SAPO Fotos, em 2006 o SAPO Vídeos e recentemente criou o CloudPT.

A missão do SAPO é tornar a vida mais simples.

 

O SAPO comemora hoje 18 anos

 

O Tugaleaks entrevistou o CTO do SAPO e um dos seus fundadores, Celso Martinho, onde procurou saber como foi o SAPO e como virá a ser no futuro. O Celso também contou a história do SAPO no seu blog.

 

Sentes-te realizado profissionalmente com o que o sapo conseguiu atingir até hoje?

Realizado, sim, claro que sim. Best fucking job in the world. Trabalhar no SAPO tem sido com estar no primeiro emprego há 18 anos mas sentir-me como um empreendedor em série que já fez uma centena de startups, como tudo incluído: risco, stress e oportunidades, sucessos e insucessos, frustação e satisfação plena.

 

Quais foram as maiores dificuldades do SAPO como motor de busca?

As dificuldades com o motor de busca na realidade nunca existiram porque antes do Google aparecer já nós tínhamos percebido que a. A Internet era global e ia ser democratizada e nós não teríamos a prazo capacidade possível nem know how para dar um resposta global ao problema da “pesquisa” b. Tínhamos que nos diversificar e criar outros pontos de contato com os utilizadores e outros negócios. Como tal fizemos a transição que tinha que ser feira. Primeiro a tecnologia de pesquisa era nossa, depois fizemos uma parceria com o Google antes do IPO deles (pouca gente sabe disto), e finalmente viramos a pesquisa para outras áreas e passámos a investir muito mais noutros serviços: conteúdos, e-commerce e classificados, video, etc.

 

SAPO.PT COMEMORA 18 ANOSA primeira página do SAPO, em 1995.

 

Consideras que o SAPO é como um “pai” para a Internet em Portugal?

Não. Essa presunção fica-nos mal. A Internet em Portugal cresceu com muitos projetos importantes e relevantes para a altura e o mérito é de todos esses pioneiros. O SAPO teve um papel muito importante, pela dimensão, pela generalidade do seu projeto, por estarmos na génese e sermos dos mais velhinhos e termos tido alguma sorte com o nosso percurso, especialmente nos primeiros anos.

 

De que forma é que, com a globalização da Internet, o SAPO pode vir a surpreender no futuro?

O SAPO vai continuar a surpreender porque a Internet ainda é infante e o mundo continua a mudar aceleradamente, e quando há mudanças há oportunidades novas. É verdade que os concorrentes globais, que têm recursos infinitos, são avassaladores mas há muitas áreas aonde a especificidade local faz a diferença e há muitos serviços que nós “produtizámos” ao longo da nossa história, e que dominamos, e que conseguimos replicar aonde fizer sentido, e vamos fazer-lo. Só temos que garantir que nos mantemos rebeldes, insaciáveis, não podemos ter medo de errar, e que não ficamos prisioneiros dos nossos hábitos e vícios.

 

Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *