O Tugaleaks é um órgão de comunicação social social verdadeiramente independente. Não temos qualquer publicidade no site. Consulta aqui o nosso relatório de transparência mensal.

Envia a tua denúncia anónima aqui

Depois de ontem terem sido divulgados dados de bancos, os hackers continuam a expor, através da rede social Facebook, vários e-mails e informações.

A informação continua a surgir pelas redes sociais de “ataques” informáticos com vista a explorar vulnerabilidades nos serviços do estado e da política local.

SlowGov09 Portugal é uma equipa recentemente formada que, contou ao Tugaleaks, tem a intenção de “defender o povo e acabar com a corrupção“.
Embora estes ataques não sejam fáceis, um membro da equipa contou-nos que “conseguem acesso” a “estes servidores corruptos”.

Esta equipa divulgou endereços de e-mail da Junta Freguesia de Alfena, da Direcção-Geral da Educação, da Direcção-Geral de Saúde, do Ministério do Ambiente, da Direcção-Geral do Ensino Superior, do Ministério da Defesa Nacional, da Procuradoria-Geral da República, da Direcção-Geral da Administração Interna, da Direcção-Geral da Energia e Geologia, do PSD Europa, do Governo regional dos Açores e de outros algos.

Ver leaks na página SlowGov09 Portugal

 

 

1457498_638216196201053_147534367_n

 

Nomes, telefones e cargos do Ministério da Agricultura e do Mar

Outro ataque, de natureza um pouco mais confidencial, foi levado a cabo pelos OutsideTheLaw que divulgaram juntamente com os Sidekingdom12 vários nomes, passwords, números de telefone, cargos e NIFs de colaboradores do Ministério.

Em entrevista com os OutsideTheLaw, um dos seus membros indicou ao Tugaleaks que “o intuito desta ataque foi mostrar que em pleno 2014 , o site esta vulneravel a uma falha muito conhecido , e mesmo assim continuam vulneraveis a tal, e como o Ministério da Agricultura faz parte do governo, aproveitamos a falha no servidor web para nos infiltrar-mo-nos no servidor e roubar todos a informação presente”.
Indicaram ainda que “mesmo com a base toda encriptada conseguimos o acesso de quase toda a base de dados, com os emails, senhas, nomes, etc. Podem fazer o que quiserem desde tentar invadir os emails dos mesmos, lembrando que muitas das contas divulgadas estão registados no Facebook e em outros lugares, facilitando muito para quem quiser ‘roubar’. Sse eles roubam-nos todos os dias, porque não podemos-tos roubar de vez em quando?”.

Aceder ao “leak” do Ministério 

 

Contactado o Ministério da Agricultura, o Gabinete de Imprensa informou que “não temos nenhum comentário a fazer sobre este assunto. Todos os sites que referiu estão e tem estado operacionais nos últimos dias“.

Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *