A Staples vende essencialmente material de escritório e algum material informático. Alguns trabalhadores “problemáticos” estão a receber cartas de despedimento colectivo.

A Staples refere na carta de despedimento colectivo (ver download no final do nosso artigo) enviada a alguns dos trabalhadores de algumas lojas do país que as quebras na área do mobiliário, informática e outras estão na origem do despedimento. Afirma também que não pode ter “trabalhadores que não têm ocupação”.
Estes trabalhadores não têm qualquer apoio. Não existe sindicato, comissão intersindical ou comissão de trabalhadores. Estão sozinhos com Portugal em plena austeridade.

 

Trabalhadores “incómodos” da Staples Portugal recebem carta de despedimento

 

A carta com data de 23 de Outubro a que o Tugaleaks teve acesso, tem como possível extinção do Posto de trabalho o mês de Outubro.
Os despedimentos, segundo fontes do Tugaleaks, são pelo menos na loja de Oliveira de Azeméis.

Em Junho deste ano a Staples esteve visada em vários órgãos de comunicação social. Na TSF, Carlos Maia afirmou que “a Staples é uma empresa sólida” e que “este ano abrimos 4 lojas”. Aparentemente, quatro meses depois, existem despedimentos colectivos.

Ainda segundo a mesma fonte estes não são despedimentos “normais”. São aquilo que a fonte chama de “limpeza etnica” onde os que incomodam são os visados. Queixa-se também do sistema de escravidão que existe dentro da Staples, afirmando que “sendo que neste caso não se trata de uma raça mas sim de todos aqueles que se opõem à politica de escravidão imposta pela empresa, trabalhadores a trabalhar sistematicamente semanas a fio sem folgar, pessoas a entrarem as 7 da manha e a saírem as 23 horas, trocas de horários folgas e ferias constantes de um dia para o outro sem se ter hipótese de dizer que não e sem qualquer aviso, maior parte destes despedimentos foram feitos a quem pelo menos uma vez já se recusou a esta escravidão”.
Fomos ainda informados que as lojas podem não fechar, pois estão a ser contratadas pessoas para substituir as pessoas que despedem, que são pelo menos 50 pessoas.

A Staples mentiu, e aparentemente comete ilegalidades para com os funcionários. Quem se opõe, terá este destino.

O Tugaleaks está solidário com os trabalhadores da Staples e com qualquer funcionário de empresas a trabalhar nestas condições. Aos que o fazem, recomendamos a denúncia através dos nossos contactos.

 

Download da carta de despedimento

Comentários

Responder a Anónimo Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ver
Esconder