Foi ontem. Cerca das 21h30m começou-se a falar sobre a revolução que hackers fazem pelo mundo fora e também em Portugal. O Tugaleaks contribuiu para a reportagem.

 

Reportagem com o Tugaleaks

O servidor do Tugaleaks recebeu 212 pedidos por segundo, tendo uma média de 1.5 MB/segundo. Conseguimos ficar online durante esse pico, exepto apenas 30 segundos de downtime. No máximo tivemos 731 pedidos à espera, mas nunca tivemos os serviços lentos.

Isto tudo foi fruto de uma entrevista levada a cabo por um jornalista da RTP que desde o início se mostrou mais entendedor desta matéria que a maioria das “breves” ou “reportagens de jornal” que são feitas por aí.
Erros? Houveram. Não é MB5 é MD5 (info aqui sobre essa forma de encriptação) e não existem “headmasters” exepto no Harry Potter mas sim webmasters.
No entanto, e para sermos justos, foi o melhor trabalho dos media em relação aos Anonymous na história portuguesa, superando até agora qualquer órgão de media tradicional.

Pelo grupo FreedomLTD, recebemos o seguinte comunicado: gostámos muito, e apesar de não ter dito muito, disseram o essencial da ideologia Anonymous e pela primeira vez os medias mais populares não são abafados pelo governo.

Pelo foco internacional, o site cia.gov está offline há mais de 3 horas.
Finda esta madrugada, o Tugaleaks vai estar na manifestação da ACTA, não garantindo porém a sua presença na manifestação da CGTP, a decidir apenas na altura.

O nosso vídeo está aqui, cortesia do ConfidencialPT:

Obrigado aos que assistiram e apoiam este projeto há mais de um ano.

Reportagem com o Tugaleaks

Download do vídeo (150MB)

Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ver
Esconder