Um vídeo enviado em exclusivo ao Tugaleaks mostra pelo menos dois agentes da GNR a gozar com um individuo. A GNR e o Ministério da Administração Interna permaneceram calados, sem comentar a situação, durante mais de um mês. Mesmo depois de várias tentativas.

O Tugaleaks teve conhecimento que a situação terá acontecido alegadamente na localidade da responsabilidade do Subdestacamento Territorial de Sintra.

Em concreto, de acordo com o que fontes indicaram ao Tugaleaks, tratou-se de uma pessoa envolvida num assunto que envolvia alegadamente níveis de álcool no sangue. Acontece que o referido homem visado no vídeo seria, também ao que tudo indica, membro dos Comandos do Exército, informou a mesma fonte.

O Tugaleaks contactou o Exército sobre esta informação e conseguiu apurar, através do gabinete de imprensa, apenas o seguinte: “informa-se que o nome indicado prestou serviço em regime de contrato”, sendo que neste momento já não os presta.
Em relação às perguntas efetuadas relacionadas com a tentativa por parte de oficiais da GNR de abafarem a situação ou qualquer reação por parte do Exército a um potencial homem seu ser apanhado nestas condições, recebemos o mesmo silêncio da GNR e do MAI.

No primeiro vídeo é possível verificar um homem sentado numa cadeira com um telemóvel no ouvido. Pertencente a um visível elemento da GNR, ou pelo menos com este na mão, o elemento da guarda está com o telemóvel no ouvido do cidadão enquanto toca o toque de formatura. Este “toque” significa que os militares devem formar, em sentido, junto do seu superior. Enquanto isso, utiliza os seus sapatos para se divertir à custa alheia.

No segundo vídeo é possível verificar um outro elemento da guarda a dizer “mete o Conan”, referindo-se talvez ao Conan Osisis, enquanto toca, mais uma vez ao ouvido do cidadão, a música de José Afonso, Moda do Entrudo.

Mas, pior do que a descrição, só mesmo os vídeos, que deixamos de seguida.

 

Conforme já indicado, o Tugaleaks tentou apurar responsabilidades, sem qualquer sucesso.

Conheces casos que pretendes denunciar?
Podes enviar uma denúncia anónima aqui.

Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ver
Esconder