O juiz é conhecido por sentenças polémicas. Depois de violar uma adolescente de 14 anos, o homem, casado e com dois filhos, foi para o café beber uma cerveja. A Polícia Judiciária, através da Directoria do Norte, com a colaboração da GNR, identificou e deteve um homem suspeito da prática de um crime de sequestro e violação de uma menor de 14 anos, ocorrido no dia 3 de Setembro, ao fim da tarde, na localidade de Vila Nova de Famalicão. A menor, que circulava sozinha junto a uma estrada próxima do local do crime, terá sido violentamente arrastada para o interior de um campo de milho, onde foi seguidamente violada por um agricultor de 29 anos.

Violou menor de 14 anos, foi para o café beber cerveja, foi detido… e o juiz libertou-o Imagem: Correio da Manhã

 

Finda a violação, seguida de abandono do local por parte do individuo, a vítima procurou auxílio junto à mesma estrada onde havia sido sequestrada, vindo a ser socorrida por uma mulher que entretanto aí circulava de automóvel. A menor estava despida da cintura para cima e a chorar quando foi encontrada. O individuo era já referenciado localmente por situações de assédio e tentativas de abuso sexual de outras jovens e mulheres. Depois de consumar o acto, o homem, casado e com dois filhos, foi para o café beber uma cerveja.

 

Juiz solta violador

O juiz, já conhecido por sentenças polémicas sobre casos de violação, libertou o predador sexual. Em 2010 deixou um professor de Famalicão suspeito de violação ausentar-se do país, tendo ficado meses sem estar contactável. Meses antes deixou à solta um pedófilo que abusou das enteadas que fugiu para o Alentejo, tendo posteriormente sido preso  mas por assaltos. Neste caso, o individuo ficou apenas obrigado a apresentar-se semanalmente à GNR tendo também ficado impedido de contactar com a menor. Na localidade onde mora é conhecido pelos vizinhos como “tarado sexual”.

Este predador foi libertado porque a adolescente, de 14 anos, já tinha anteriormente mantido relações sexuais, ou seja, já não era virgem. O juiz disse ainda que era necessário investigar se tinha mesmo havido violação, embora ela apresentasse escoriações por todo o corpo e de os abusos terem sido confirmados pelos exames efetuados no Hospital.

 

ACTUALIZAÇÃO 9:50 – Depois de sair em liberdade, o predador deu entrada 6 horas depois no Hospital local com ferimentos provocados por agressões.

Comentários

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ver
Esconder